Eleições 2014 "Não sabemos se empréstimo de avião era pago ou não", diz coordenador do PSB

"Não sabemos se empréstimo de avião era pago ou não", diz coordenador do PSB

Vice na chapa de Alckmin, Márcio França assegura que famílias de vítimas serão indenizadas

"Não sabemos se empréstimo de avião era pago ou não", diz coordenador do PSB

A polêmica envolvendo o empréstimo de um jato executivo para a campanha presidencial do PSB está longe de terminar. Após o partido divulgar, nesta terça-feira (26), nota em que diz que a aeronave foi emprestada para a campanha, o coordenador financeiro da equipe de Marina Silva, deputado federal Márcio França, admitiu não saber se o acordo "foi oneroso ou se foi gratuito".

— Como disse o partido hoje, foi um empréstimo. A gente só não sabe se foi oneroso ou se foi gratuito.

França, que é presidente do PSB em São Paulo e candidato a vice-governador de SP na chapa de Geraldo Alckmin (PSDB), assumiu a coordenação financeira da campanha de Marina na segunda-feira (25).

Leia mais notícias de Eleições 2014

Ele afirmou não ter detalhes sobre o contrato de propriedade da aeronave, mas garantiu que as famílias vítimas do acidente serão indenizadas.

— Não existe um carro, avião, nada que não tenha seguro.

Nesta terça-feira, o PSB (Partido Socialista Brasileiro) se manifestou pela primeira vez sobre o avião que levava o presidenciável Eduardo Campos e mais seis pessoas e caiu em Santos (SP) no último dia 13. De acordo com a nota do partido, empresários emprestaram a aeronave à campanha.

Segundo o texto, ao final do processo eleitoral, o avião teria seus detalhes expostos: "Nos termos facultados pela legislação eleitoral, e considerando o pressuposto óbvio de que seu uso teria continuidade até o final da campanha, pretendia-se proceder à contabilização ao término da campanha eleitoral, quando, conhecida a soma das horas voadas, seria emitido o recibo eleitoral, total e final". 

    Access log