Eleições 2014 Provável candidato à Presidência da República, Aécio Neves ganha apoio de Alckmin para comandar o PSDB

Provável candidato à Presidência da República, Aécio Neves ganha apoio de Alckmin para comandar o PSDB

Governador de São Paulo evita citar nome de Serra e não poupa elogios ao senador mineiro

Provável candidato à Presidência da República, Aécio Neves ganha apoio de Alckmin para comandar PSDB

Aécio e Alckmin chegaram juntos ao Congresso do PSDB em São Paulo. Serra não participou do evento porque estava nos EUA

Aécio e Alckmin chegaram juntos ao Congresso do PSDB em São Paulo. Serra não participou do evento porque estava nos EUA

Léo Pinheiro/Futura Press/Estadão Conteúdo

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, declarou na noite desta segunda-feira (25), durante Congresso Estadual do PSDB em São Paulo, apoio ao senador mineiro Aécio Neves para que ele assuma a presidência nacional do PSDB. A eleição ocorre em maio deste ano. 

— Sinto no PSDB que você, Aécio, assuma a presidência do PSDB e percorra o Brasil, ouça o povo brasileiro, fale com o povo brasileiro e una o partido.  

Aécio é o principal nome da legenda para se candidatar à Presidência da República nas Eleições de 2014 e seus aliados aguardavam o apoio da ala paulista do partido para consolidar o projeto. Mas a escolha do representante gera um desconforto nos apoiadores de José Serra, que defendiam o paulista para comandar a legenda. 

Aécio Neves se lança à presidência do PSDB e diz que Serra "sempre terá lugar de destaque no partido"

Leia mais notícias de Brasil

Na semana passada, Alckmin e o senador se reuniram para debater a crise no partido e o governador foi reticente ao tratar do tema das eleições internas, afirmando que ainda seria necessária "uma boa conversa" antes da decisão. Nesta noite, sem mencionar Serra, que não esteve no Congresso, o governador rasgou elogios a Aécio Neves.  

— Aécio é uma grande liderança do nosso partido, homem público, pautado pela honradez, coerência e seriedade.

Alckmin negou, no entanto, que tenha mudado de ideia quanto à candidatura de Aécio e que tenha se "rendido" ao projeto mineiro.

— Esse é o sentimento do partido. Não, não me rendi. Estou incorporado.

Com discurso afinado, os tucanos pregaram a unidade no partido

Com discurso afinado, os tucanos pregaram a unidade no partido

Léo Pinheiro/Futura Press/Estadão Conteúdo

Quem explicou a ausência de Serra foi o ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso, principal entusiasta da candidatura do mineiro à presidência do Brasil em 2014.  

— O Serra foi para os Estados Unidos, para Princeton [Universidade de Princeton], porque já estava marcado há muito tempo [...]  Eu me sinto representado por ele lá e espero que ele se sinta representado por mim aqui. 

Os três principais personagens do Congresso do PSDB — Aécio Neves, Geraldo Alckmin e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso — estavam com discurso afinado. Todos descartaram os rumores de que haja uma crise interna no PSDB destacaram a necessidade de manter o partido unido.

Em tom de campanha, FHC disse que o partido se reuniu esta noite para "mostrar que está integralmente unido" e esbravejou o brodão "rumo à vitória".

    Access log