Eleições 2016 Candidatos usam tema violência contra mulher para atacar Pedro Paulo em debate da Record

Candidatos usam tema violência contra mulher para atacar Pedro Paulo em debate da Record

Oito candidatos à Prefeitura do Rio participaram do debate na Rede Record neste domingo (25)

Candidatos usam tema violência contra mulher para atacar Pedro Paulo em debate da Record

A uma semana das eleições municipais, candidatos apresentaram propostas para o Rio

A uma semana das eleições municipais, candidatos apresentaram propostas para o Rio

Danilo Nascimento/Record Rio

Transporte, educação, saúde foram alguns dos temas discutidos no debate entre os candidatos à Prefeitura do Rio na sede da Rede Record, no Rio de Janeiro, na noite deste domingo (25), mas foi o assunto violência contra mulher que dominou a primeira rodada de perguntas com temas livres (assista abaixo). 

Assista à íntegra do debate dos candidatos do Rio na Record

A uma semana das eleições municipais, Marcelo Crivella (PRB), Marcelo Freixo (Psol) e Pedro Paulo Carvalho (PMDB), Flávio Bolsonaro (PSC), Índio da Costa (PSD), Jandira Feghali (PCdoB) e Alessandro Molon (Rede) e Carlos Roberto Osório (PSDB) debateram ideias e apresentaram suas propostas. 

O primeiro a trazer o tema da violência doméstica para a discussão foi o candidato Índio da Costa. Em um ataque indireto a Pedro Paulo, que teve a denúncia de agressão contra sua ex-mulher arquivado pelo STF (Supremo Tribunal Federal), Índio questionou  a candidata Jandira Feghali sobre a violência contra a mulher e a Lei Maria da Penha.  

— De fato, as mulheres sofrem muito com a violência. Numa cidade em que a maioria das famílias são chefiadas por mulheres, não cabe um gestor que foi denunciado por agressão. Fui relatora do debate da Lei Maria da Penha. Infelizmente, vejo que a lei não é respeitada em muitos cidades, inclusive no Rio. Também é inadmissível que um prefeito esteja envolvido em uma gravação de um vídeo em que aparece tratando a mulher negra como se estivesse na senzala, quando entrega a chave de um apartamento. 

O candidato Alessandro Molon insistiu no assunto violência contra mulher e destacou que o programa de governo de Pedro Paulo não tem "propostas concretas" sobre o tema. O peemedebista se defendeu e lembrou que o seu processo foi arquivado.

—  Meu processo foi investigado por dez meses e chegaram a uma conclusão que as acusações são falsas e sou inocente. Eu sou absolutamente contra violência doméstica. Meu programa pretende manter a Secretaria da Mulher e criar mais cinco casas de acolhimento, além de mais creches e saúde para as mulheres.

Molon destacou o que chamou de risco de se ter "um prefeito que dá um péssimo exemplo para cidade. Bater em mulher não é só um problema entre o casal".

Por fim, o candidato Pedro Paulo afirmou que as acusações contra ele são falsas.

— Você é um deputado e tem que conhecer a lei, respeitar as instituições. Nós aplaudimos quando a Justiça condena, mas temos que respeitar quando absolver. Já está provado que é falso.

No terceiro bloco, Índio da Costa questionou Pedro Paulo diretamente: "Quem bate em mulher, para mim, é covarde. E para você?". O candidato do PSD afirmou ainda que há quatro boletins de ocorrência contra o apadrinhado do prefeito Eduardo Paes — três por agressão a ex-mulher e um por agressão a um fotógrafo.

Em resposta, Pedro Paulo reiterou que foi absolvido pelo STF e acusou o concorrente de construir uma mansão em área preservada e de cometer crime ambiental. Índio reagiu chamando o peemedebista de mentiroso.

Confira o 1º bloco do debate na Record:

    Access log