São Paulo Primeiras medidas: Doria promete aumentar velocidade das marginais e manter tarifa de ônibus

Primeiras medidas: Doria promete aumentar velocidade das marginais e manter tarifa de ônibus

Além disso, o tucano disse que as prioridades da gestão serão saúde e educação

  • São Paulo | Do R7, com Estadão Conteúdo

Com 53,3% dos votos, Doria leva primeira eleição em turno único

Com 53,3% dos votos, Doria leva primeira eleição em turno único

Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Eleito no primeiro turno à Prefeitura de São Paulo neste domingo (2), João Doria (PSDB) já começou a falar sobre os planos para sua gestão. Em entrevistas que concedeu após o resultado das urnas, o tucano já falou sobre algumas promessas para os quatro anos de seu governo. Entre as medidas ele destacou que irá aumentar os limites de velocidade nas marginais e disse que não irá aumentar a tarifa do ônibus na capital.

Veja a seguir algumas das promessas do novo prefeito:

Limite de velocidade
Como primeira medida ao assumir o Executivo, Doria repetiu que voltará os limites originais nas marginais Tietê e Pinheiros, para 90, 70 e 60 quilômetros por hora.

— Depois, as prioridades serão saúde e educação.

Tarifa de ônibus
Doria garantiu que a tarifa de ônibus na cidade de São Paulo será mantida em R$ 3,80.

— Tarifa de ônibus será mantida. Não tem necessidade de aumentar.

Prefeito eleito deve ter maioria legislativa

Doria diz que, se eleito, não dialogará com “movimentos que invadem propriedade”

Impostos
Questionado sobre a necessidade de outras mudanças em tarifas e tributos, Doria disse que não ocorrerão.

— Vamos melhorar a eficiência em São Paulo. Não há necessidade de aumentar tarifas ou impostos.

Reeleição
João Doria afirmou que vai começar seu mandato se comprometendo a não se apresentar para uma eventual reeleição.

— Não quero reeleição. Vou cumprir meu mandato de quatro anos sem reeleição, eu acho muito ruim ser eleito pensando em se reeleger.

Quem é João Doria, o novo prefeito de São Paulo

Eleições 2016: Lágrimas, tensão e resignação marcam derrota do PT em São Paulo

Saúde
Para Doria, "saúde é o problema número 1, 2 e 3. Precisa ter uma ação emergencial". De acordo com o tucano, será mantido sua proposta do Corujão da Saúde, carro-chefe da campanha, que consiste em "alugar" mais de 40 hospitais privados para funcionarem das 20h às 8h atendendo pacientes da rede municipal. Ele afirmou que irá se reunir com representantes do setor privado nesta semana.

Privatização
Eleito com o discurso de privatização, ele afirmou que irá tocar a PPP da iluminação e que a primeira privatização será do Anhembi.

Últimas