Eleições 2018 Bolsonaro passeia com a família em reserva da Marinha

Bolsonaro passeia com a família em reserva da Marinha

Presidente eleito faz a viagem acompanhado da mulher, Michelle, da filha mais nova e do filho Carlos Bolsonaro, entre amigos e seguranças

Bolsonaro está acompanhado da mulher e familiares

Bolsonaro está acompanhado da mulher e familiares

Rovena Rosa/Agência Brasil - 28.10.2018

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, embarcou nesta sexta-feira (2), em Itacuruçá, para um passeio de barco com a família pela Restinga de Marambaia, uma área de reserva da Marinha, em Mangaratiba, município do litoral sul do Rio.

Ele estava acompanhado da mulher, Michelle, da filha mais nova e do filho Carlos Bolsonaro, entre outros familiares, amigos e seguranças da Polícia Federal.

O grupo passou a tarde no Centro de Adestramento da Ilha da Marambaia (Cadim), uma organização militar da Marinha situada em Mangaratiba, na Costa Verde do Rio de Janeiro.

Bolsonaro garante que carta branca não será exclusividade de Moro

Em nota, a Marinha confirmou a visita e informou que o centro "tradicionalmente oferece privacidade e segurança para autoridades nacionais e estrangeiras" e tem por missão principal "contribuir para o aprestamento de Forças Navais e dos Fuzileiros Navais".

Segundo o documento, o local é o único em todo o Estado do Rio de Janeiro onde navios, aeronaves e veículos militares podem fazer uso de armamento real para adestramento. Em função da proximidade com várias outras organizações militares, "o deslocamento das unidades a serem adestradas é feito de forma rápida, economizando tempo e recursos", informou a Marinha.

Bolsonaro foi recebido no local por oficiais da Marinha, que possui um restaurante de acesso restrito na Reserva. Posou para fotos com eleitores e autorizou o embarque de um cinegrafista de TV em um barco de apoio.

Ao embarcar, o futuro presidente ficou cerca de 5 minutos interagindo com dezenas de pessoas que correram para o deck.

A reportagem perguntou à futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro, se eles pretendem retornar hoje da restinga. Ela não respondeu, mas policiais do Batalhão de Choque que fazem a escolta do presidente eleito informaram que foram orientados a permanecer em Itacuruçá.

Pela manhã, Bolsonaro usou uma rede social e disse "desautorizar" declarações de qualquer grupo intitulado "equipe do Bolsonaro". Citou diretamente os temas de previdência e CPMF, que já foram objeto de divergência entre membros da equipe econômica e seus assessores mais próximo da área política.

Mais cedo, ao sair de uma reunião na casa de Bolsonaro, o futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, informou apenas que havia aprovado os nomes da equipe de transição e confirmou a agenda do novo presidente em Brasília essa semana. Segundo ele, Bolsonaro só voltará a falar na quarta-feira, em Brasília, após encontro com o presidente Michel Temer.

    https://noticias.r7.com/eleicoes-2018