Eleições 2018 "Indicaria alguém do perfil de Sérgio Moro para o STF", afirma Bolsonaro

"Indicaria alguém do perfil de Sérgio Moro para o STF", afirma Bolsonaro

Se eleito, o candidato do PSL poderá indicar substitutos dos ministros Celso de Mello e Marco Aurélio Mello na Suprema Corte

Bolsonaro

Bolsonaro evitou cravar indicação de eventual governo

Bolsonaro evitou cravar indicação de eventual governo

Ricardo Moraes/Reuters - 7.10.2018

O candidato à presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, afirmou, sem citar nomes, que pretende indicar "alguém com o perfil de Sérgio Moro [juiz responsável pelas investigações da Lava Jato em primeira instância] para o STF [Supremo Tribunal Federal]".

"O trabalho que o Moro fez tem que ser reconhecido por parte de um governo sério", avaliou. 

Bolsonaro tem 59% dos votos válidos e Haddad, 41%, diz Ibope

Se eleito no próximo dia 28 de outubro, Bolsonaro poderá indicar ao menos dois ministros para a Suprema Corte.

Em 2020, o ministro Celso de Mello alcançará a aposentadoria obrigatória ao completar 75 anos. No ano seguinte, será a vez de Marco Aurélio Mello deixar sua cadeira vaga.

A afirmação foi feita pelo presidenciável em uma entrevista concedida nesta terça-feira (16) ao SBT.

Segurança

Questionado sobre a responsabilidade da polícia ser dos governadores, Bolsonaro destacou que o Código Penal é desenvolvido pelo presidente da República. "Se nós dermos a liberdade, não para o policial matar, mas para não morrer, isso começa a mudar de figura", afirmou.

Bolsonaro pede que frente parlamentar rural indique nomes para a Agricultura

"O policial hoje em dia tem que espera um bandido atirar para reagir. Isso não pode continuar acontecendo", disse ele, que ressalta não poder dizer que policial e bandido são iguais. "Nos países desenvolvidos, o elemento portando uma arma de guerra passa a ser alvo dos agentes da lei e tem que ser dessa forma".

Bolsonaro ainda se manifestou contra a interferência na autonomia da Polícia Federal, mas se disse contra a algumas politizações do órgão. "Acredito que ela tem que ter meios para poder exercer o seu trabalho. Assim sendo, reforçá-la e fazer o máximo possível para que ela continue dando satisfação à sociedade", completou.

    https://noticias.r7.com/eleicoes-2018