Covas e Boulos mostram indignação por morte de João Alberto

Nesta sexta-feira (20), Covas e Boulos reforçam a necessidade de combate ao racismo após assassinato de homem negro, em Porto Alegre

Montagem/R7

Os candidatos Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL), vencedores no 1° turno das Eleições Municipais de 2020 na capital paulista, demonstraram indignação pelo assassinato de João Alberto, crime praticado por seguranças de um hipermercado de Porto Alegre.

Ambos reforçaram a necessidade de ações para combater o racismo durante a agenda desta sexta-feira (19) durante encontros com entidades e legendas em busca de apoio às candidaturas. O segundo turno do pleito eleitoral está marcado para o dia 29 de novembro.

Leia também: Covid-19, renda e ataques marcam debate entre Covas e Boulos em SP

A campanha eleitoral começou oficialmente no dia 27 de setembro e, desde então, o R7 tem divulgado os compromissos de campanha dos concorrentes à administração municipal paulistana. O critério definido para apresentação foi a ordem alfabética.

Bruno Covas (PSDB)

O candidato à reeleição pelo PSDB, Bruno Covas, teve um encontro com integrantes do Siemaco-SP (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação e Limpeza Urbana de São Paulo), nos Campos Elíseos, região central da cidade.

Depois, o candidato participou, via Sreamyard, de conversa com a "Frente Ampla pelos Direitos Humanos com Bruno Covas". Por fim, ele gravou material para o programa eleitoral.

Durante o encontro com os sindicalistas, Covas recebeu elogios da categoria pela sua atuação para manter de empregos na pandemia do novo coronavírus. "Este ano de 2020 não foi fácil, pois São Paulo, a maior cidade do país, virou o epicentro do coronavírus no Brasil e na América Latina. Se houve uma decisão importante foi a de manter todos os contratos terceirizados da Prefeitura que salvou 108 mil empregos na cidade", declarou.

Bruno Covas recebeu apoio de sindicalistas nesta sexta-feira (20)

Bruno Covas recebeu apoio de sindicalistas nesta sexta-feira (20)

Divulgação/Patrícia Cruz

O prefeito prometeu mais ações voltadas para geração de emprego, um dos grandes desafios da próxima gestão. "O segredo é saber como fazer. E quem sabe fazer são aqueles que atuam ao lado dos sindicatos, que conhecem o dia a dia do trabalhador, que sabem conversar. Esta é a minha cartilha", completou.

No Dia da Consciência Negra, Bruno Covas também lamentou a morte de um homem negro após ser espancado por seguranças em Porto Alegre.

“Nesta data em que se comemora o Dia da Consciência Negra quero registrar o meu pesar, a minha indignação, o quanto lamento pelo o que aconteceu em Porto Alegre. É importante fazermos o combate ao  racismo estrutural que existe no Brasil", disse.

O prefeito destacou que o município tem um decreto, uma política de combate ao racismo estrutural, e citou que recentemente, os 12 novos CEUs (Centros Educacionais Unificados) que foram inaugurados neste ano, ganharam nomes de personalidades negros e negras da nossa história brasileira, como da escritora Carolina de Jesus e do cantor Luiz Melodia, entre outros.

Guilherme Boulos (PSOL)

O candidato do PSOL, Guilherme Boulos, participou de um encontro de partidos em apoio à chapa no Hotel Excelsior, no centro da capital paulista.

Guilherme Boulos recebeu apoio de partidos de esquerda nesta sexta-feira (20)

Guilherme Boulos recebeu apoio de partidos de esquerda nesta sexta-feira (20)

Reprodução/Redes Sociais

Nas redes sociais, Boulos reforçou a necessidade de a sociedade brasileira combater o racismo neste 20 de novembro, Dia das Consciência Negra, data em que o assassinato de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, ocorrida na noite anterior em um hipermercado de Porto Alegre, repercute no país.

"O combate ao racismo é um dos pilares do nosso programa de governo e está no centro do nosso projeto de inversão de prioridades. Enquanto houver racismo, não haverá democracia", declarou Boulos.