Eleições 2020 Economia, habitação e pandemia marcam dia dos candidatos em SP

Economia, habitação e pandemia marcam dia dos candidatos em SP

Concorrentes à prefeitura da capital paulista se dividem entre debates, entrevistas e corpo a corpo com eleitorado na agenda desta quarta-feira (11)

Postulantes à Prefeitura de SP intensificam agenda na reta final da campanha

Postulantes à Prefeitura de SP intensificam agenda na reta final da campanha

Montagem/R7

Os candidatos à Prefeitura de São Paulo se dividiram entre debates, entrevistas e corpo a corpo com eleitorado na agenda pública desta quarta-feira (11). As eleições municipais serão realizadas no dia 15 de novembro e o segundo turno de votações está  marcado para o dia 29 do mesmo mês.

Leia também: Candidata a prefeita é alvo de atentado a tiros em São Vicente (SP)

A campanha eleitoral começou oficialmente no dia 27 de setembro e o R7 tem divulgado os compromissos de campanha de todos os 14 concorrentes à administração municipal paulistana. O critério definido para apresentação foi a ordem alfabética.

Andrea Matarazzo (PSD)

O candidato do PSD, Andrea Matarazzo, visitou o bairro da Liberdade e participou de live organizada pela Casa do Saber com candidatos da capital paulista.

Antônio Carlos da Silva (PCO)

Antônio Carlos da Silva participou de panfletagem na Paulista e reuniões

Antônio Carlos da Silva participou de panfletagem na Paulista e reuniões

Divulgação

Os candidatos do PCO, Antônio Carlos Silva (PCO), fez panfletagem em estação do Metrô e na região da avenida Paulista durante o dia.

Depois, o candidato teve reunião com a organização da campanha e participou da gravação de vídeos e realização de entrevistas.

Arthur do Val Mamãe Falei (Patriota)

O candidato Arthur do Val, do Patriota, concedeu entrevista para a Rádio Bandeirantes e participou de debate da OAB, Uninove, TVT e Rádio 98,9.

Bruno Covas (PSDB)

O candidato do PSDB à reeleição, Bruno Covas, participou do Debate Uol/Folha e fez gravações do programa eleitoral.

Durante o evento, Covas destacou o formato democrático de apresentação de propostas e relembrou que, quando era deputado federal, defendeu a tese de que debates ao vivo substituíssem o horário eleitoral gratuito.

"Faço uma avaliação muito positiva. Nos debates, é possível o eleitor olhar no
olho dos candidatos, avaliar o que já fizeram. É sempre produtivo", declarou o candidato tucano.

Covas falou sobre enchentes, habitação e pandemia durante debate, entre outros temas

Covas falou sobre enchentes, habitação e pandemia durante debate, entre outros temas

Divulgação/Patrícia Cruz

Bruno Covas fez uma boa avaliação do período em que esteve à frente da Prefeitura e lembrou os muitos desafios vencidos, em especial durante o período da pandemia da covid-19.

O prefeito paulistano também reforçou a importância dos candidatos apresentarem propostas viáveis para a cidade. “Nós não vendemos ilusão para a população. Mesmo esse ano com a pandemia, o tempo de espera médio para exames na rede pública de saúde caiu de 84 para 35 dias. Estamos implantando o prontuário eletrônico e a telemedicina. A cidade tinha quatro UPAs, inauguramos mais 10", disse.

Leia também: Após ser expulso do Novo, Sabará integra equipe de Russomanno

A votação da reforma tributária foi outro tema abordado por Covas. De acordo
com ele, se o texto for aprovado como está, São Paulo deve perder cerca de R$
10 bilhões nos próximos 10 anos. "Precisamos de articulação política e de
responsabilidade fiscal para viabilizar as ações necessárias e diminuir as
desigualdades sociais da nossa cidade", afirmou.

Questionado sobre o que tem sido feito no combate às enchentes, Bruno Covas disse que durante a atual gestão foram construídos dez piscinões e que por
meio do programa Córrego Limpo a administração tem realizado serviços de
limpeza e desassoreamento nesses locais.

Sobre habitação, Covas destacou que até o final do ano serão entregues 25 mil
unidades habitacionais na cidade, e que a meta para os próximos quatro anos é
de mais 50 mil. "Também isentamos de IPTU e ITBI as habitações populares e
inauguramos o primeiro prédio de locação social para pessoas em situação de
rua", finalizou.

Celso Russomanno (Republicanos)

O candidato do Republicanos, Celso Russomanno, participou do Debate Uol/Folha, concedeu entrevista à Record TV e encerrou o dia com nova entrevista, desta vez com o jornal Estadão.

Filipe Sabará (Novo)

O candidato do Novo, Filipe Sabará, não tem agenda desde que teve o pedido de candidatura indeferido.

Guilherme Boulos (PSOL)

O candidato do PSOL, Guilherme Boulos, participou do Debate Uol/Folha. À tarde, ele teve encontro com evangélicos em Campos Elíseos.

Depois, Guilherme Boulos concedeu entrevista à CNN Brasil e terminouo dia em uma live com economistas em suas redes sociais.

Jilmar Tatto (PT)

O candidato do PT, Jilmar Tatto, deu entrevista à Rádio Bandeirantes e fez carreata nos bairros Grajaú e Cidade Dutra, na zona sul.

Em postagem nas redes sociais, o petista negou qualquer possibilidade de retirar a candidatura em favor da chama encabeçada pelo psolista Guilherme Boulos, 

"Eu tô na rua todos os dias e o perfil do meu eleitor é mais popular, que também é o perfil do Orlando, mas não é o perfil do Boulos, que é mais escolarizado. Essa campanha para Tatto retirar candidatura interessa apenas ao Bruno Covas. Eles querem repetir o Doria".

Jilmar Tatto terminou o dia de campanha eleitoral com a participação no Debate Uol, TVT, Rádio Brasil Atual e Rede Brasil Atual.

Joice Hasselmann (PSL)

A candidata Joice Hasselmann, do PSL, participarou de um café da manhã com dirigentes partidários e teve reunião com mulheres empreendedoras.

Mais tarde, Joice teve entrevistas no canal Árvore do Futuro e no Estadão. Depois, se reuniu com empresários e encerrou o dia no debate da OAB, Uninove, TVT e Rádio 98,9.

Levy Fidelix (PRTB)

O candidato do PRTB, Levy Fidelix, concedeu entrevistas para Rádio Trianon, TV Globo e jornal Metrópoles.

Levy Fidelix obteve na 1ª Zona Eleitoral de São Paulo a suspensão de divulgações de pesquisa Datafolha para a prefeitura paulistana, após ação movida pelo PRTB.

O juiz Marco Antonio Martin Vargas concordou que as pesquisas eleitorais conduzidas pelas empresas acima citadas não cumprem com os requisitos exigidos pelo artigo 2º da Resolução do TSE de número 23.600 /2019.

“É lamentável que tenhamos de chegar a esse ponto. De todo modo, os estudos não são acompanhados de informações básicas, como as regiões de apuração da cidade. Nesse sentido, fica difícil constatar se a exposição dos números na mídia condiz com a realidade”, declarou Levy Fidelix.

Márcio França (PSB)

O candidato do PSB, Márcio França, visitou o Senai da Vila Leopoldina, na zona oeste da cidade.

Depois, ele participou do Debate Uol/Folha e se encontrou com empresários chineses no Ibrachina (Instituto Sociocultural Brasil-China), na Mooca, zona leste.

Durante a agenda, França falou sobre a sua intenção de revitalizar o centro expandido de São Paulo, promovendo um ambiente mais propício ao investimento e devolvendo um ambiente mais agradável.

"É um importante núcleo de comércio aqui de São Paulo, com números importantes, que movimenta muita gente. São muitas pessoas, comércios, lojas. São Paulo vende para o Brasil todo. Então, precisamos trazer aquele centro expandido para dentro deste circuito. Eles têm uma organização com 4 mil sócios, abrangendo um fluxo de dois milhões de pessoas", disse.

França se reuniu com empresários chineses na Mooca, zona leste de SP

França se reuniu com empresários chineses na Mooca, zona leste de SP

Divulgação/Fernanda Luz

Márcio França frisou que a região conta com mais de 20 mil comerciantes que passaram por graves dificuldades por causa das barreiras impostas pela pandemia de covid-19.

"Agora, eles esperam que a Prefeitura tenha rapidez, que possa aprovar rápido os projetos e cuidar da vida deles. A prefeitura tem essa obrigação, tem o nosso compromisso, e eles sabem que aqui tem palavra. Por isso me trouxeram aqui hoje, assumimos esse compromisso. Se nós estivermos na Prefeitura, vamos tê-los como parceiros", declarou o candidato.

França também reforçou os seus planos pela retomada econômica em 2021. Ele disse que pretende ter frentes de trabalho com pagamentos de R$ 600,00 para as pessoas mais vulneráveis, em troca de prestação de serviço, frentes voltadas a jovens de 18 anos, nos mesmos moldes

O político, que encerrou o dia em entrevista à CNN Brasil, também reafirmou o projeto de empréstimo de R$ 3 mil para pequenos empreendedores, com prazo de 30 meses para pagar, além de empréstimos de  25 mil reais para comerciantes.

Marina Helou (Rede)

A candidata a prefeita pela Rede Sustentabilidade, Marina Helou, começou o dia com o reality interativo Você Decide, de seu programa.

À tarde, Marina fez caminhada e panfletagem nas ruas da capital. Depois, ela participou de live com Fernanda Gomes.

Marina encerrou o dia de campanha com a sua participação no debate da OAB, Uninove, TVT e Rádio 98,9.

Orlando Silva (PCdoB)

O candidato do PCdoB, Orlando Silva, visitou a Porta de Fábrica: Amplicabos, e participou de debate virtual no Diário do centro do Mundo.

Depois, o comunista participou de um diálogo com trabalhadores dos Correios e de uma live com trabalhadores de audiovisual.

Por fim, Olando Silva terminou o dia com a presença em um debate da OAB, Uninove, TVT e Rádio 98,9.

Vera Lúcia (PSTU)

A candidata do PSTU, Vera Lúcia, concedeu entrevistas ao Memo (Monitor do Oriente Médio) e ao Mapa da Educação.

Vera cobrou atualização de dados da pandemia

Vera cobrou atualização de dados da pandemia

Divulgação/Tácito Yuri Dutra Chimato

Durante a agenda desta quarta-feira (11), Vera fez uma declaração com críticas a administradores públicos pelo atraso da atualização de dados sobre a pandemia do novo coronavírus.

“Às vésperas da eleição municipal, onde estão os dados sobre a covid-19? Faz seis dias que não há atualizações. Independentemente da responsabilidade do Ministério da Saúde, que responde a Bolsonaro, ou da Secretaria da Saúde de SP, que responde a Dória, não é aceitável este apagão nos dados da pandemia, inclusive em um momento de apreensão, diante da possibilidade de uma segunda onda, que já acontece na Europa. Estamos no estado que é o epicentro da pandemia no país, com o maior registro de casos na cidade de São Paulo. A falta de informações e de medidas necessárias pode custar as vidas dos nossos", declarou.”

Vera Lúcia terminou a agenda do dia em uma conversa por live com o youtuber Chavoso da USP.

Veja o currículo dos candidatos à Prefeitura de São Paulo:

Últimas