Eleições 2020 Paes diz que segundo turno 'não pode ser de discussão ideológica'

Paes diz que segundo turno 'não pode ser de discussão ideológica'

Candidato que vai disputar o segundo com Marcelo Crivella diz que vai buscar apoio de todos os cariocas para chegar ao terceiro mandato

Paes vai disputar o segundo turno com Crivella

Paes vai disputar o segundo turno com Crivella

WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

Em sua primeira manifestação, o provável candidato mais bem colocado no primeiro turno da eleição do Rio, o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) disse que irá "buscar o apoio de todos os cariocas" na tentativa de chegar ao seu terceiro mandato à frente da Prefeitura do Rio. E, numa provável estratégia de evitar a rejeição de eleitores que ficam mais ao extremo dos espectros políticos, em especial da esquerda, insistiu que a discussão no segundo turno não pode ser ideológica.

Paes e Crivella disputarão segundo turno no Rio de Janeiro

"Essa discussão é sobre o Rio. Não é uma discussão sobre direita esquerda ou um debate ideológico nacional", comentou Paes, em rápida entrevista concedida em um hotel da zona sul do Rio. "Eu quero o apoio do povo carioca, conversar com todos os cariocas. Não importa se é direita ou esquerda. Acho que o que nós temos hoje é uma insatisfação com a gestão de um prefeito despreparado."

Veja quem são os vereadores eleitos na cidade do Rio de Janeiro

Paes iniciou sua fala ressaltando que discursava "em hipótese". Ele se referia ao fato de, quase às 22h deste domingo, a apuração oficial no Rio estar ainda na casa dos 30%. "Mas a gente trabalha a partir das pesquisas e pelo que foi apurado até agora", comentou.

O prefeito respondeu apenas a três perguntas, e passou a maior parte dos cinco minutos de fala atacando a gestão do atual prefeito, Marcelo Crivella (Republicanos), com quem irá disputar o pleito.

Últimas