Eleições 2020 Questão racial marca reta final da eleição em Porto Alegre

Questão racial marca reta final da eleição em Porto Alegre

Semana foi marcada por troca de acusações raciais entre os candidatos Manuela DÁvila (PCdoB) e Sebastião Melo (MDB)

Agência Estado

Antonio Augusto/Ascom/TSE - 21.10.2020

Em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul e uma das cinco cidades do Estado a terem segundo turno, a disputa pelo segundo turno entre os candidatos Manuela DÁvila (PCdoB) e Sebastião Melo (MDB) será acirrada. A reta final da campanha foi marcada pelo assassinato no último dia 19 do mecânico Beto Freitas, homem negro, por seguranças do supermercado Carrefour e pela troca de acusações raciais entre os candidatos.

Nesta semana, Melo afirmou que registrou ocorrência no Palácio da Polícia contra a adversária por, segundo o candidato, ter lhe acusado "de ser racista". Em resposta Manuela afirmou que o candidato "tenta criar um fato eleitoral diante da incapacidade de dizer que discorda das declarações literais de seus aliados" e afirmou que o concorrente "responderá judicialmente".

Entre os apoios que Melo recebeu dos candidatos derrotados no primeiro turno está o do vereador Valter Nagelstein (PSD). Em áudio atribuído a Nagelstein, e defendido pelo vereador nas redes sociais, ele afirma que a bancada de cinco vereadores eleita pelo PSOL para a próxima gestão é composta por "jovens", "negros" e pessoas "sem nenhuma tradição política ou qualificação formal". A declaração causou revolta entre opositores que criticam as alegações de cunho racial.

Além de Nagelstein, também apoiam Melo os candidatos derrotados Gustavo Paim (PP) e João Derly (Republicanos). José Fortunati (PTB), que renunciou à sua candidatura após problemas apontados pela Justiça Eleitoral sobre o prazo de filiação do vice, também apoia o candidato. Já Manuela tem o apoio de Montserrat Martins (PV) e das outras candidatas na disputa, Juliana Brizola (PDT) e Fernanda Melchionna (PSOL), bem como da Rede, que não ofereceu candidato.

Derrotado no primeiro turno, o atual prefeito Nelson Marchezan (PSDB) disse que não apoiaria nenhum dos dois candidatos sob o argumento de que as duas candidaturas são "de confronto ao atual modelo de gestão da prefeitura de Porto Alegre". Entretanto, os diretórios estadual e municipal do seu partido, o PSDB, declararam que apoiam a reivindicação de Melo a fim de garantir a continuidade da atual gestão.

Intenção de votos

Segundo pesquisa Ibope encomendada pela rede RBS e divulgada deste sábado (28) Manuela tem 45% das intenções de votos totais contra 43% de Melo e ambos estão tecnicamente empatados dentro da margem de erro de 3 pontos percentuais. Votos brancos são 8% e não responderam 4%.

Dos votos válidos, Manuela tinha 46% na semana passada, segundo o instituto, e passou para 51%. Já Melo tinha 54% e caiu para 49%. O levantamento ouviu 805 eleitores de Porto Alegre entre os dias 27 e 28 de novembro. O nível de confiança é de 95% e a pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob RS-05561/2020.

Últimas