Eleições 2022

Eleições 2022 PSDB se reúne nesta quinta para confirmar apoio a Simone Tebet

PSDB se reúne nesta quinta para confirmar apoio a Simone Tebet

Membros do PSDB, MDB e Cidadania deram passo para oficialização nesta quarta no gabinete de Tasso Jereissati, cotado para vice

  • Eleições 2022 | Alan Rios, do R7, em Brasília

Encontro entre líderes do PSDB, MDB e Cidadania

Encontro entre líderes do PSDB, MDB e Cidadania

Divulgação

O PSDB deve oficializar, nesta quinta-feira (9), o apoio à senadora Simone Tebet (MDB-MS) para a disputa da eleição presidencial deste ano. Escolhida pelo MDB para ser a pré-candidata ao Palácio do Planalto, ela aguardava uma definição da federação entre PSDB e Cidadania sobre a aliança. Os maiores entraves estavam nos conflitos internos dos tucanos, que avançaram ontem em um entendimento.

Tebet, os presidentes do MDB, Baleia Rossi, do Cidadania, Roberto Freire, e do PSDB, Bruno Araújo, reuniram-se na quarta-feira no gabinete do senador Tasso Jereissati (PSDB-SP). O encontro, segundo nota do PSDB, encaminhou a escolha da indicação de Simone Tebet como candidata da chamada terceira via à Presidência da República. A executiva nacional da sigla se reúne na manhã desta quinta para validar o apoio.

A reunião de quarta também representou um passo importante para fortalecer uma possível indicação de Jereissati a vice. A chapa com os dois senadores deve ser aprovada pelos representantes do PSDB, pois até mesmo a ala que antes defendia uma candidatura própria dos tucanos agora avalia que não há tempo suficiente para viabilizar outro nome. 

O PSDB publicou nesta quarta que o encaminhamento do nome de Tebet para apreciação da Executiva é um "importante momento da história do país". A senadora também classificou o momento como "histórico a favor da reconstrução do Brasil", e disse que o MDB, PSDB e Cidadania deram "mais um passo em direção à união do centro democrático".

Caso seja confirmada a oficialização, os tucanos encerram um longo período de discussões sobre a candidatura à Presidência. O partido realizou prévias para escolher quem lançaria ao Executivo, e João Doria foi o vencedor do pleito interno. Eduardo Leite ficou em segundo. O processo contou com troca de acusações entre os dois, e o então governador do Rio Grande do Sul chegou a acusar Doria de compra de votos.

Já o ex-governador de São Paulo, mesmo vencendo as prévias, teve que enfrentar novos cenários dentro do partido, chamou de "tentativa de golpe" uma decisão do PSDB de lançar um candidato à Presidência que não fosse ele, mas acabou cedendo à pressão feita por correligionários e anunciou a desistência da pré-candidatura ao Executivo. Em meio a todos esses processos, as três legendas envolvidas fizeram amplas negociações de apoios em diferentes estados e chegaram a um entendimento final para oficializar o apoio a Simone Tebet.

Últimas