Empregos Brasil abre 57.733 vagas com carteira assinada em outubro

Brasil abre 57.733 vagas com carteira assinada em outubro

Resultado positivo é fruto de 1.279.502 contratações e 1.221.769 demissões formais, aponta Caged

Caged

Brasil já criou 790 mil vagas formais no ano

Brasil já criou 790 mil vagas formais no ano

Marcello Casal Jr./ABr

O Brasil criou 57.733 empregos com carteira assinada no mês de outubro, segundo dados revelados nesta quarta-feira (21), pelo Ministério do Trabalho.

De acordo com o Ceged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), o resultado positivo do mês passado é fruto de 1.279.502 contratações e 1.221.769 demissões formais no mês passado.

Insegurança limita contratações intermitentes no 1º ano de reforma

No acumulado do ano, houve um acréscimo de 790.579 vagas com carteira assinada. Já nos últimos 12 meses, o saldo positivo de postos de trabalho no Brasil é de 444.483.

Em comparação com outubro do ano passado, quando o país abriu 76.599 empregos, a criação de vagas formais foi 32% menor no período.

As informações sobre o mercado de trabalho brasileiro haviam sido antecipadas pelo presidente Michel Temer em sua conta no Twitter.

Setores

Na análise por ramo de atividade, foram registradas mais contratações do que demissões em seis dos oito setores monitorados pelo Caged. Os melhores resultados para o mês passado foram verificados nos setores de comércio (+34.133 postos), serviços (+28.759) e indústria de transformação (+7.048).

Sete de cada 10 empregos criados no 2º trimestre foram informais

Também geraram vagas com carteira assinada, mas em menor ritmo, as áreas de construção civil (+560 vagas), extrativa mineral (+377) e serviços industriais de utilidade pública (+268).

Por outro lado, apresentaram queda no nível de emprego os setores da agropecuária e administração pública, com 13.059 e 353 postos formais a menos, respectivamente.

Salário

O levantamento também mostra que os profissionais admitidos no mês passado assinaram contrato para receber R$ 1.528,32 por mês. O valor corresponde a um crescimento de R$ 6,89 (0,45%) em comparação com setembro.

Profissionais do Sudeste têm salário 30% maior do que os do Nordeste

Para os empregados demitidos, o salário médio recebido por eles em outubro foi de R$ 1.672, remuneração R$ -16,86 (1%) ante o mês imediatamente anterior.

Em relação a outubro do ano passado, houve um aumento real de R$ 9,99 (0,66%) no salário médio de admissão dos trabalhadores formais e perda real de R$ 65,08 (3,75%) na remuneração de desligamento dos profissionais.