Empregos Brasil cria 137 mil vagas formais em setembro, diz Caged

Brasil cria 137 mil vagas formais em setembro, diz Caged

Resultado positivo do mercado de trabalho surgiu devido a 1.234.591 contratações e 1.097.255 demissões no mês passado

Caged

Saldo é o melhor para setembro desde 2013

Saldo é o melhor para setembro desde 2013

Camila Domingues/Fotos Públicas

O Brasil abriu 137.336 empregos com carteira assinada no mês de setembro, revelou nesta segunda-feira (22) o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do MTE (Ministério do Trabalho e Emprego).

De acordo com os dados, o saldo positivo do mês passado é fruto de 1.234.591 contratações e 1.097.255 demissões. Com a criação de mais de 60 mil postos no mês passado, o setor de serviços foi o que mais contribuiu para o resultado.

Brasil deve abrir mais de 220 mil vagas temporárias neste fim de ano

O volume de criação de vagas formais em setembro foi o melhor para o mês desde 2013, quando as admissões superaram as demissões em 211.068 postos.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram abertas 34.392 vagas com carteira assinada, o volume de contratações cresceu quase 300%. Em 2015 e 2016, o país mais demitiu do que admitiu profissionais.

No acumulado dos nove primeiros meses do ano, o Brasil já soma a contratação de 719.089 trabalhadores com carteira assinada. O saldo foi gerado por 11.826.816 admissões e 11.107.727 desligamentos.

Os últimos dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontam que número de brasileiros desempregados recuou entre junho e agosto de 2018, mas ainda atinge 12,7 milhões de profissionais.

Setores

Na análise por setores, apenas a agropecuária demitiu mais do que contratou no mês passado, com 77.520 admissões e 80.208 desligamentos.

Por outro lado, puxaram o saldo positivo de contratações com carteira assinada os segmentos de serviços (60.961), indústria de transformação (37.449), comércio (26.685) e construção civil (12.481).

Também admitiram formalmente, mas em menor ritmo, as áreas de serviços industriais e de utilidade pública (1.091), administração pública (954) e a indústria extrativa mineral (403).

Remuneração

O Caged também revelou que os salários médios de contratação e desligamento dos profissionais recuaram, respectivamente, R$ 26,74 (-1,73%) e R$ 17,94 (-1,05%) em comparação ao mês de agosto.

Com as variações, a remuneração média de admissão em setembro foi de R$ 1.516,89 e o dos desligamentos, de R$ 1.684,39.