Empregos São Paulo, Curitiba, Brasília e BH lideram criação de vagas em 2019

São Paulo, Curitiba, Brasília e BH lideram criação de vagas em 2019

Dados do Ministério da Economia mostram que Brasil criou 313.835 novas vagas com carteira assinada nos quatro primeiros meses do ano

Caged

Sudeste foi a região que mais criou vagas neste ano

Sudeste foi a região que mais criou vagas neste ano

Jorge Araújo/Folhapress - 8.1.2009

O Brasil fechou os primeiros quatro meses de 2019 com 313.835 novas vagas com carteira assinada, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). O resultado positivo do período foi liderado por quatro capitais: São Paulo (SP), Curitiba (PR), Brasília (DF) e Belo Horizonte (MG).

Somente a cidade de São Paulo foi responsável por 11% (34.944) do total de vagas formais abertas no primeiro quadrimestre do ano.

O dado da capital paulista surge como consequência do bom desempenho do setor de serviços, que foi responsável por 35.113 contratações no período e impediu que a baixa do comércio (-6.577 vagas) influenciasse o resultado.

'Tinders do Emprego' conectam empresas e profissionais

O ramo de serviços também foi o grande destaque das cidades de Curitiba, Brasília e Belo Horizonte que, juntas, criaram 28.443 postos de trabalho com carteira assinada nos primeiros quatro meses de 2019, sendo 20.829 para atuar no setor.

Guiadas pela criação de vagas na indústria de transformação, as cidades de Joinville (SC) e Santa Cruz do Sul (RS) aparecem na sequência do ranking, com a abertura de, respectivamente, 6.399 e 5.780 novos cargos formais nos primeiros meses do ano.

Completam a relação das 10 cidades que mais contrataram no primeiro quadrimestre os municípios de Dourados (MS), Franca (SP), Venâncio Aires (RS) e Maringá (PR). Juntas, as localidades abriram 18.242 postos de trabalho.

Na análise por regiões, Sudeste, Sul e Centro-Oeste contrataram mais do que demitiram no acumulado do ano. Foram, respectivamente, 186.923, 123.933 e 54.876 novos postos formais abertos. Por outro lado, Norte (-3.992) e Nordeste (-47.905) amargam saldo negativo na criação de empregos em 2019.

Demissões

Rio perdeu 6.667 vagas formais no 1º quadrimestre

Rio perdeu 6.667 vagas formais no 1º quadrimestre

Wikimedia Commons

Na contramão dos resultados positivos, o Rio de Janeiro aparece como o a cidade que mais demitiu no primeiro quadrimestre do ano, com o corte de 6.667 vagas formais no período.

O principal responsável pelo desempenho ruim da capital fluminense foi o comércio, que fechou os primeiros quatro meses do ano com 6.500 vagas com carteira assinada a menos.

Bolsonaro diz que modernização 'vai agilizar geração de empregos'

A Indústria de Transformação (-722) e a Construção Civil (-427) também terminaram o quadrimestre com mais demissões do que contratações. Por outro lado, Serviços (+621) e Serviços de Utilidade Pública (+241) tiveram resultado positivo no período.

Na sequência das cidades com mais desligamentos do que contratações aparecem Rio Formoso (PE), Rio Largo (AL), Fortaleza (CE) e Bebedouro (SP), que cortaram, respectivamente, 4.167, 4.065, 3.774 e 3.619 postos de trabalho com carteira assinada em 2019.