Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Notícias R7 – Brasil, mundo, saúde, política, empregos e mais
Publicidade

Endrick quase marca em estreia, faz a torcida vibrar e chora ao lembrar da morte do avô

Não sairá da memória de Endrick o dia 6 de outubro de 2022. Nesta quinta-feira o jovem fenômeno de 16 anos fez sua estreia no profissional...

Estadão Conteúdo|Do R7


Não sairá da memória de Endrick o dia 6 de outubro de 2022. Nesta quinta-feira o jovem fenômeno de 16 anos fez sua estreia no profissional do Palmeiras ao entrar no lugar de Rony no segundo tempo. Em 27 minutos, mostrou nervosismo, buscou o jogo, se movimentou e ficou perto duas vezes de marcar seu primeiro gol diante de quase 40 mil palmeirenses no Allianz Parque que festejaram poder ver de perto a primeira vez da joia alviverde.

O garoto só lamenta o fato de seu avô não ter visto o neto em ação pelo time principal do Palmeiras. O avô morreu no mês passado, um dia antes de Endrick marcar na final do Campeonato Brasileiro sub-20 contra o Corinthians e erguer mais uma taça. Emocionado, o atacante dedicou a noite especial ao pai de seu pai.

Ele disse que viveu “semanas muito difíceis” por ter de lidar com a morte de seu avô no momento em que controlava a ansiedade ligada à iminência de sua primeira vez entre os profissionais e enquanto se adaptava ao grupo.

Publicidade

“O Abel falou que ele ia ter o momento certo. Eu acredito nele. Eu estava com a cabeça no meu avô, que queria me ver no profissional. Eu queria fazer essa estreia pro meu avô. Queria fazer a felicidade dele, que está lá em cima”, contou a joia palmeirense. Ele tentou, mas não conseguiu segurar o choro na entrevista ao Premiere ao se lembrar do avô.

Publicidade

Quando o Palmeiras vencia o Coritiba por 3 a 0 e o jogo estava, portanto, resolvido, Endrick foi chamado no banco, motivo para a torcida vibrar como um gol no Allianz Parque. Muito aplaudido, ele pisou no gramado aos 22 minutos, lançado por João Martins, já que Abel Ferreira estava suspenso.

Seu nervosismo ficou claro com a falta que cometeu em seu primeiro lance em campo. Depois, com seus companheiros lhe procurando, se soltou, festejou o gol de Breno Lopes que selou a goleada em casa e ficou perto de balançar as redes duas vezes.

Publicidade

Na primeira jogada, recebeu de Bruno Tabata de frente para o gol, mas parou no goleiro. Na segunda tentativa, foi até fominha depois de disparar pela direita e deixar dois marcadores para trás, mas era justificável pelo desejo de logo poder comemorar seu primeiro gol. Ele invadiu a área e, em vez de tocar, finalizou em cima de Gabriel, mais uma vez, o vilão da noite especial vivida por Endrick.

“Estava com essa ansiedade de ver a torcida gritando meu nome. Quero fazer de tudo por eles. Vou deixá-los felizes. Quero fazer a felicidade de todos. Agradeço à torcida, a meus companheiros e ao Abel”, disse o atleta, segundo o qual o técnico português não lhe havia avisado de que ele estrearia.

Ambicioso, o atleta mais novo ao defender o Palmeiras em toda a história, com 16 anos 2 meses e 15 dias, afirmou que está em seus planos “chegar ao topo” com o time alviverde. “O Palmeiras nunca está satisfeito com os títulos, queremos sempre mais. Se eu for jogar na Europa um dia, quero voltar para jogar aqui e ser campeão mundial, da Libertadores, do Brasileiro e de tudo”.

Passada a ansiedade pela estreia, a tendência, agora, é de que Endrick tenha cada vez mais minutos em campo. A decisão, claro, é e continuará sendo de Abel Ferreira, que na segunda-feira, data do próximo compromisso do Palmeiras contra o Atlético-GO, volta a comandar o líder do Brasileirão, com 63 pontos.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.