Notícias Estúdio News mostra que pandemia agrava as desigualdades de gênero

Estúdio News mostra que pandemia agrava as desigualdades de gênero

Sobrecarga emocional, violência e perdas econômicas, representadas pelo desemprego e aumento da pobreza, afetam mais mulheres do que homens

  • Notícias | Do R7

Ana Carolina Querino, Juliana Kämpf e Maíra Liguori

Ana Carolina Querino, Juliana Kämpf e Maíra Liguori

Divulgação

Neste sábado (25), o Estúdio News avalia quais são os impactos da pandemia e do isolamento social para as mulheres.

O apresentador Gustavo Toledo recebe para a conversa a gerente de programas da ONU Mulheres Brasil, Ana Carolina Querino; a gerente de Relacionamento institucional do Sebrae, Juliana Kämpf; e a diretora da organização Think Olga, Maíra Liguori.

Segundo relatório Mulheres no centro da luta contra a crise Covid-19, divulgado pela ONU Mulheres, elas estão mais expostas ao risco de contaminação e às vulnerabilidades sociais decorrentes da pandemia, como desemprego, violência, falta de acesso aos serviços de saúde e aumento da pobreza. Ana Carolina explica a importância dos governos estarem atentos a essa desigualdade.

“Sabemos, de experiências passadas, que as mulheres são mais impactadas. Primeiro porque o tipo de emprego em que elas estão inseridas, normalmente, são os mais afetados então elas perdem mais renda do que os homens; segundo porque no período pós-crise essas mulheres demoram mais que os homens para voltar ao mesmo nível de autonomia financeira que tinham anteriormente”, diz.

Pesquisas realizadas pelo Sebrae mostram que a crise econômica foi especialmente prejudicial para as mulheres empreendedoras: 52% delas paralisaram “temporariamente” ou “de vez” suas atividades, contra 47% nos homens. Juliana ressalta que a sobrecarga de trabalho durante a pandemia é mais um fator que agrava as desigualdades.

“É um cenário que já era existente e que pode piorar nessa situação de pandemia, porque as mulheres tendem a perder os seus empregos, a ficar mais em casa já que as escolas estão fechadas, as tarefas domésticas e de educação acabam sobrecarregando ainda mais as mulheres que deixam os seus negócios ou dividem ainda mais o seu tempo”, afirma.

Outro índice que preocupa é o aumento da violência doméstica durante o isolamento, registrado em diversos países. Mesmo com a dificuldade de a mulher denunciar os casos nesse período de quarentena, Maíra acredita que o combate à violência contra elas é um dever de todos.

“Não é pensar só no que a mulher pode fazer, porque ela é o elo mais fraco dessa cadeia, ela é a vítima e está em uma situação de extrema vulnerabilidade. Todos os outros atores da sociedade precisam atuar e entender que esse é um problema de todos nós e não só da mulher que está sofrendo em casa”, argumenta.

O Estúdio News vai ao ar aos sábados, às 22h15, na Record News, que é sintonizada pelos canais de TV fechada 55 Vivo TV, 78 Net, 32 Oi TV, 14 Claro, 19 Sky e 134 GVT, além do canal 42.1 em São Paulo e demais canais da TV aberta em todo o Brasil.

Últimas