Notícias Fiscalização flagra 'rave' com 700 pessoas sem máscara em Sorocaba

Fiscalização flagra 'rave' com 700 pessoas sem máscara em Sorocaba

Agência Estado

Uma blitz de agentes municipais flagrou uma festa clandestina com cerca de 700 pessoas, na madrugada desta quinta-feira, 11, em uma chácara, em Sorocaba, interior de São Paulo. Apesar da pandemia do coronavírus, ninguém usava máscara, protetor facial obrigatório por lei na cidade. Com som alto e bebidas alcoólicas, a "rave"foi fechada com apoio da Guarda Civil Municipal e da Polícia Militar por contrariar a lei da quarentena. Três pessoas foram detidas, entre elas o responsável pelo imóvel. Os frequentadores foram mandados de volta para casa.

Quando os agentes chegaram, centenas de jovens dançavam e consumiam bebidas no interior do imóvel. Foram apreendidos 65 litros de destilados, 44 garrafas e 100 latas de cerveja e 24 garrafas PET de dois litros de energético, além de 100 maços de cigarros. O organizador da festa foi autuado por promover evento proibido durante a pandemia, expondo a saúde dos frequentadores. Ele e outras duas pessoas, detidas por venda de lança-perfumes, foram levados ao plantão da Polícia Civil.

A prefeitura intensificou a fiscalização após denúncias de "pancadões" em bairros da periferia. "É irresponsável quem organiza esse tipo de evento, em plena pandemia. Estamos de olho em quem faz isso", disse o comandante da GCM de Sorocaba, Marcos Mariano, que participou da blitz.

Sorocaba contabilizava, na manhã desta quinta, 1,5 mil casos positivos de coronavírus, com 73 mortes confirmadas. A cidade está na faixa laranja (2) do Plano São Paulo, de reabertura gradual das atividades econômicas, com risco de regredir para a fase vermelha (1), a mais restritiva, em razão do aumento no número de casos, mortes e internações pela covid-19.

Últimas