Hora 7 Após 123 dias acorrentado, casal se liberta e termina relacionamento

Após 123 dias acorrentado, casal se liberta e termina relacionamento

O estranho experimento de um casal ucraniano chegou ao fim: com o corte da correntes, Alexander e Viktoria morarão distantes

  • Hora 7 | Filipe Siqueira, do R7

Resumindo a Notícia

  • Um casal de namorados decidiu terminar o relacionamento após se acorrentar por 123 dias
  • Experiência sofrida começou mal, com feridas dolorosas no pulso de Viktoria
  • Durante a o tempo juntos, os dois escreveram mensagens no Instagram
  • Agora, os dois viverão distantes um do outro, provavelmente para esquecerem tudo
Corrente foi cortada por tesoura industrial, durante uma cerimônia em Kiev

Corrente foi cortada por tesoura industrial, durante uma cerimônia em Kiev

Reprodução/Instagram

Um casal de namorados ucraniano, que ficou famoso por se acorrentar, terminou o relacionamento justamente após colocar fim ao estranho experimento. Assim que cortaram a corrente, em uma cerimônia em Kiev, capital da Ucrânia, os dois encerraram o namoro alegando que estavam "finalmente livres".

Viktoria 'Vika' Pustovitova, 29 anos, e Alexander 'Sasha' Kudlay, 33, ficaram presos 123 dias ao todo, e diziam que estavam vivendo como "gêmeos siameses". A tesoura industrial que cortou a corrente que os prendia também marcou o fim do romance.

"Quero viver minha própria vida independente e crescer como uma pessoa independente", disse Vika.

Passada a alegria da separação, eles começaram a explicar como o amor acabou — e pelas respostas, ficou-se com a impressão de que se acorrentar não passou de uma mera experiência midiática boba.

"Veja, agora estamos distantes um do outro. Éramos felizes e agora estamos felizes por ter passado por essa experiência em nossas vidas", disse Sasha, para um grupo de jornalistas que foi à cerimônia, no mesmo local onde os dois se acorrentaram.

LEIA TAMBÉM: Peixes vivos em design de unhas é a nova atrocidade de salão russo

Quando perguntados do motivo do término, as respostas foram óbvias. Eles queriam um pouco de privacidade e espaço, e não aguentava mais a presença um do outro.

Mas, ainda disseram estar "orgulhosos" de bater um recorde na Ucrânia.

Fotinha boa pra postar no Instagram e provar que se amam

Fotinha boa pra postar no Instagram e provar que se amam

Reprodução/Instagram

Após o fim do experimento, os dois viverão totalmente separados em regiões diferentes do país.

Os dois disseram inicialmente que esperavam ganhar algum dinheiro com a façanha, mas nenhuma informação financeira foi divulgada — o que geralmente é um claro sinal de que os planos não deram certo.

Durante o período, os dois se sustentaram com o emprego de Alexander, que tinha um emprego online de venda de carros e peças usadas.

Já Viktoria, foi demitida de um serviço especializado em colocar cílios, uma vez que as clientes não gostaram nada da presença do namorado sempre com ela.

Ideia errada

Já no início do experimento, as coisas deram errado e os dois foram hospitalizados após as correntes ferirem os pulsos de Viktoria.

Viktoria nunca parecia feliz de ter entrado nessa fria

Viktoria nunca parecia feliz de ter entrado nessa fria

Reprodução/Instagram

Aliás, a própria história de como decidiram se unir dessa maneira já mostra que experiência não foi nada boa.

Tudo começou quando Alexander Kudlay, 33, brincou que "amarraria" Viktoria Pustovitova, 28, por causa do hábito que a moça tem de sair de casa após a menor briga: "Ela não concordou no início, mas eu a convenci", explicou Alexander, sem revelar detalhes.

VALE SEU CLIQUE: Influenciadora é desmascarada após falsificar viagem de 1º classe

Pelas fotos, Viktoria parecia refém de Alexander, sempre triste. No Instagram, ela escrevia mensagens de como queria viver a própria vida, mas estava atada ao namorado.

Ao menos, nada grave ocorreu durante a estranha história.

LEIA ABAIXO: Casal de namorados de 4 mil anos é encontrado olhando um pro outro

Últimas