Hora 7 Cabras que ocuparam cidade por um ano começam a ser expulsas

Cabras que ocuparam cidade por um ano começam a ser expulsas

Cidade britânica de Llandudno foi praticamente sitiada por um grande grupo de cabras-da-Caxemira logo após a pandemia

  • Hora 7 | Filipe Siqueira, do R7

Resumindo a Notícia

  • A cidade britânica de Llandudno começa a expulsar cabras invasoras do início da pandemia
  • Pelas contas dos administradores, são mais de 150 cabra na cidade
  • Parte dela recebeu injeções anticoncepcionais e permanecerá por lá no momento
  • Outras 30 foram enviadas para cidades vizinhas, para comer vegetais considerados invasores
Apesar de invasoras, elas parecem bem educadas

Apesar de invasoras, elas parecem bem educadas

Reuters/Carl Recine - 22.02.2021

Um grupo de cabras que invadiu e ocupou por um ano a cidade de Llandudno, no Reino Unido, foi finalmente controlado e autoridades locais iniciaram o processo de expulsá-las de lá. O grupo de animais chegou em busca de comida por causa da quarentena de covid-19, aumentou no período, e nunca mais saiu.

Os caprinos são da linhagem conhecida como cabra-da-caxemira, adaptadas a viverem em montanhas e áreas selvagens.

Os habitantes locais afirmam que era relativamente normal elas aparecerem na cidade para comer algo na primavera, quando a quantidade de comida nas montanhas diminui.

Mas, como é fácil entender, em 2020 tudo foi diferente: com presença humana muito reduzida e comida fácil de achar, os animais decidiram que a cidade era um bom ambiente. E por lá ficaram. Um ano.

O grupo de invasoras começou a crescer também porque integrantes do departamento de vida selvagem local não conseguiram administrar injeções de anticoncepcionais, para controlar o crescimento populacional da espécie.

Com a diminuição das restrições da pandemia, a prefeitura temia que os animais fossem atropelados ou chifrassem pedestres. E aí resolveu agir.

Cerca de 150 cabras estavam na pequena cidade de 20.000 habitantes. Dezenove delas receberam injeções anticoncepcionais e permanecerão na cidade por enquanto.

Outras 30 foram reunidas e enviadas para cidades vizinhas, para fazerem parte de um projeto de conservação e pastoreio: a ideia é que elas comam plantas consideradas invasivas e agressivas para vegetais nativos.

Ainda não se sabe o que será feito com as outras 100 cabras que por enquanto continuarão sem destino na cidade.

A última das invasões à cidade ocorreu em fevereiro passado, quando os animais até posaram para fotos. Relembre abaixo!

Últimas