Hora 7 Cenas de horror: insetos 'zumbis' são o mais assustador pesadelo da natureza

Cenas de horror: insetos 'zumbis' são o mais assustador pesadelo da natureza

Fungos e parasitas invadem e conseguem controlar hospedeiros, que perdem totalmente a coordenação do próprio comportamento

  • Hora 7 | Filipe Siqueira, do R7

Resumindo a Notícia

  • Vídeos em que insetos aparecem como 'zumbis' viralizaram nas redes sociais
  • Os animais nas gravações foram invadidos por parasitas, que controlam o corpo deles
  • Como resultado, eles passam a se mover unicamente para espalhar os parasitas
  • Além de formigas e vespas, cigarras também são afetadas por esse tipo de invasores
Esta formiga não está morta e nem viva

Esta formiga não está morta e nem viva

Reprodução/Vídeo/Twitter/@Rainmaker1973

Não bastasse as caçadas intensas e animais que também morrem enquanto matam uma presa, a natureza ainda nos reserva coisas ainda mais assustadoras: animais zumbis, especialmente insetos.

O fenômeno não é raro, mas é assustador de assistir. Um animal é invadido por um parasita, que tem a capacidade de controlar o hospedeiro para interesses próprios.

Um exemplo que noticianos aqui no HORA 7 é o caracol que foi dominado por um protozoário, que transforma o hospedeiro em um alvo fácil para ser devorado por aves e assim seguir o próprio ciclo de desenvolvimento.

Antes de morrer, o molusco ainda fica parecendo um carro alegórico, como pode ser visto abaixo.

Um caso recente do tipo viralizou e aterrorizou o Twitter. Um inseto, parcialmente devorado, é controlado por um fungo, que o faz assumir comportamentos estranhos.

O fungo foi identificado como Ophiocordyceps camponoti-rufipedis, e é conhecido por infectar insetos (especialmente formigas) e os matar perto de suas colônias de origem, para espalhar os esporos e parasitar muito mais indivíduos de um grupo.

Segundo Raquel Loreto, que estudou o fungo em uma pesquisa pioneira de mestrado em entomologia na UFV (Universidade Federal de Viçosa), concluída em 2014, uma formiga infectada leva de duas a três semanas para morrer. No período, todas suas funções motoras são coordenadas pelo parasita.

Para a invasão funcionar, a formiga deve estar longe da colônia, onde não conta com a complexa rede de proteção social desenvolvida pela espécie.

Fungos do gênero Ophiocordyceps são capazes de infectar insetos da ordem dos Himenópteros, que inclui vespas, moscas, abelhas e formigas.

VALE SEU CLIQUE: Tiktoker garante ser viajante do tempo e divulga data da morte da rainha Elizabeth

O sucesso da publicação — o tweet recebeu mais de 151.000 curtidas, e o vídeo foi visto mais de 4 milhões de vezes — fez muita gente adentrar ainda mais profundamente no mundo dos insetos zumbificados e relatar outros casos igualmente assustadores.

Cigarras transformadas

Um outro exemplo particularmente assustador é o das cigarras zumbis. O ciclo de vida das cigarras já notório por si só: a mais famosa das ninhadas (a Ninhada 10, com trilhões de integrantes) sai do solo cada 17 anos em várias regiões dos Estados Unidos para acasalar por algumas semanas e garantir a existência da próxima geração.

Mas, à espera delas está o fungo patógeno Massospora cicadina, especializado em atacar cigarras.

Os esporos do parasita infestam os locais onde as ninfas de cigarras sairão, e aderem ao exoesqueleto das pobres vítimas. Em poucos dias, a cigarra já se tornou um jardim de fungos.

Nessa fase, cada cigarra se torna um difusor de esporos e infecta diversas outras cigarras. É aí que o pesadelo atinge outro nível: o fungo torna as cigarras estéreis, mas as faz continuar os frenéticos rituais de acasalamento — e espalhar ainda mais esporos.

Em uma terceira fase, as cigarras macho passam a agir como fêmeas — as fêmeas mexem as asas em velocidades específicas para demonstrarem estar prontas para a reprodução — e atrair outros machos, ainda livre de esporos.

O abdômen da cigarra é substituído por um 'tampão' de fungos

O abdômen da cigarra é substituído por um 'tampão' de fungos

TelosCricket (Wikimedia Commons)

À certa altura, o abdômen da cigarra é substituída por um "tampão" de esporos, como pode ser visto acima. Mesmo sem abdômen, as cigarras ainda voam totalmente zumbificadas, e procuram se acasalar um pouco mais — antes de morrerem porque não se alimentaram no período.

Logo depois, o ciclo termina e só será reiniciado em 13 ou 17 anos, dependendo da ninhada em questão. Nem memo o terror na natureza descansa.

LEIA ABAIXO: Assustador! Especialista mostra parasita zumbi devorando abelha

Últimas