Conhecimento Cientifico Ciclo do pau-brasil: exploração que quase extinguiu uma espécie

Ciclo do pau-brasil: exploração que quase extinguiu uma espécie

Conheça essa história do pau-brasil, a madeira que manteve a produção da colônia brasileira por um ciclo inteiro e entrou em extinção O post Ciclo do pau-brasil: exploração que quase extinguiu uma espécie apareceu primeiro em Conhecimento Científico.

Conheça essa história do pau-brasil, a madeira que manteve a produção da colônia brasileira por um ciclo inteiro e entrou em extinção O post Ciclo do pau-brasil: exploração que quase extinguiu uma espécie apareceu primeiro em Conhecimento Científico.

O ciclo do pau-brasil ocorreu durante a fase pré-colonial do Brasil (1500-1530). Foi o primeiro produto a ser explorado pelos portugueses durante a época da colonização.

O pau-brasil é uma árvore nativa da Mata Atlântica. Era usada pelos nativos como tintura nos corpos. A tinta do pau-brasil é de coloração vermelha e a madeira podia facilmente ser encontrada nas regiões costeiras, o que facilitou sua exploração. Essas particularidades foram logo percebida pelos portugueses.

Assim, o produto foi levado para a Europa, onde teve grande aceitação, concorrendo com os árabes, que vendiam uma outra planta tingidora da Índia. Desde o início do século XVI, a Coroa Portuguesa recebia valores altos para a exploração do pau-brasil.

Mas foi preciso organizar três expedições para explorar o pau-brasil: primeira expedição (1502), segunda expedição (1503) e terceira expedição (1504).

A destruição das matas e a quase extinção do pau-brasil

Após intensa e longa exploração, o pau-brasil entrou em processo de extinção. Como a madeira na costa não existia mais, no início do século XVI os portugueses foram forçados a utilizar o processo de trocas com os índios para conseguirem o pau-brasil.

Depois decidiram escravizar os índios e os obrigaram a cortar as árvores sertão adentro, já que  os escravos africanos eram muito caros. Mas não foi uma tarefa fácil, pois os nativos fugiam e conheciam melhor o território. Sem contar que eles contraíram diversas doenças do homem branco, o que levou a mortandade de milhares de indígenas.

Em 1570 a escravidão indígena foi proibida pela primeira vez, só que na prática ela continuou até o final do século XVIII. Aos poucos, os índios foram substituídos pelos escravos africanos.

Ainda que a maior parte da exploração da madeira tenha sido realizada na primeira década, ela permaneceu até o século seguinte, quando perdeu sua importância no mercado consumidor. Isso porque o transporte era dispendioso e outro produto começava a ser comercializado: o açúcar.

Colonização mercantilista: a ocupação efetiva das terras brasileiras × O pau-brasil na atualidade gera outras riquezas

Atualmente, o pau-brasil é utilizado por um profissional chamado luthier na confecção de instrumentos. A madeira concentra densidade ideal, que proporciona um perfeito timbre dos instrumentos, principalmente violinos e violoncelos. Só que, diferente da política de exploração até o esgotamento, como era feito pelos portugueses, hoje há projetos eficazes de reflorestamento.

Após cinco séculos em risco de extinção, finalmente o pau-brasil voltou a fazer parte do cenário nacional.

Gostou desses pormenores sobre a madeira que dá nome ao nosso país? Então não deixe de ler também uma interessante matéria sobre a indústria da seca no nordeste brasileiro.

Fonte: Todo Estudo, Toda Matéria, Estudo Prático, Cola da Web.

O post Ciclo do pau-brasil: exploração que quase extinguiu uma espécie apareceu primeiro em Conhecimento Científico.