Conhecimento Cientifico Leis de Mendel – Quais são, como surgiram e características

Leis de Mendel – Quais são, como surgiram e características

As Leis de Mendel foram essenciais para o avanço da Genética, área da Biologia que estuda a transmissão de características entre as gerações. Essa matéria Leis de Mendel – Quais são, como surgiram e características foi criada pelo site Conhecimento Científico.

As Leis de Mendel são um conjunto de contribuições criadas, por Gregor Johann Mendel, para compreender como funciona a hereditariedade entre os seres vivos.

O botânico criador das Leis de Mendel fez o seu trabalho embasado em experimentos com ervilhas para entender os conceitos envolvendo a hereditariedade, ou seja, a transmissão de características genéticas e fenotípicas entre gerações.

Assim, o seu trabalho foi de fundamental importância para o avanço da Genética, a área que estuda os processos de transmissão de características entre as diferentes gerações.

Entenda a seguir quem foi Gregor Mendel, quais os conceitos e contribuições do seu trabalho, que o fizeram ser conhecido como o “Pai da Genética”.

Quem foi Gregor Johann Mendel?

Monge agostiniano, botânico e meteorologista austríaco, Mendel nasceu no dia 20 de julho de 1822 e viveu até seus 62 anos, falecendo em 6 de janeiro de 1884.

Conhecimento Científico

Conhecimento Científico

Conhecimento Científico
Gregor Mendel teve interesse por botânica desde criança, estudando plantas, meteorologia e teorias da evolução

Natural de uma família camponesa, sempre teve interesse por botânica, estudando plantas desde criança. Aos 21 anos, ingressou no mosteiro da Ordem de Santo Agostinho.

Mendel estudou ainda no Instituto de Filosofia de Olmutz, onde deu continuidade ao seu interesse sobre plantas, além de estudar sobre meteorologia e teorias da evolução.  Entre 1843 e 1854, lecionou Ciências Naturais na Escola Superior de Brno, ensinando sobre o estudo do cruzamento das espécies.

Os experimentos de Mendel

O cientista teve como primeiro desafio selecionar o material mais adequado para o experimento inicial.

Nesse sentido, ele escolheu a ervilha-de-cheiro (Pisum sativum), por ser uma planta de fácil cultivo, com ciclo de reprodução curta e muita produtividade. Essa escolha seria o início do legado das Leis de Mendel para a Genética Moderna.

Dessa forma, ele passou a selecionar apenas plantas puras, ou seja, aquelas que, após seis gerações, contavam com as mesmas características.

Sendo assim, Mendel cruzou plantas “puras” que produziam sementes amarelas com outras “puras” de mesma característica. O resultado foi a geração de sementes amarelas. Do mesmo modo, ele fez o experimento com plantas “puras” que produziam apenas sementes verdes, obtendo resultado semelhante.

Posteriormente, após essa seleção, foi realizado o processo da polinização cruzada, isto é, retirava-se o pólen de uma planta com semente amarela para depositá-lo em uma planta com sementes verdes.

A essas possibilidades foi dado o nome de fator, já a geração nascida a partir desse cruzamento foi chamada de híbrida.

Leis de Mendel: quais são, como surgiram e sua contribuição

Leis de Mendel: quais são, como surgiram e sua contribuição

Conhecimento Científico
O processo de polinização cruzada consiste em retirar o pólen e depositá-lo em outra planta para verificar as características produzidas a partir do processo

A primeira geração de descendentes foi denominada geração de filhos primária (F1) que, ao serem autofecundadas, originou a segunda geração, denominada geração de filhos secundária (F2).

A partir de então, Mendel passou a observar as características das gerações de descendentes. No total, foram sete: a cor da flor, a posição da flor no caule, cor da semente, textura da semente, forma da vagem, cor da vagem e altura da planta.

Dessa forma, surgiam as Leis de Mendel, que podem ser classificadas em Lei da Segregação dos Fatores e Lei da Segregação Independente dos Genes.

As Leis de Mendel – Lei da Segregação dos Fatores

Também chamada de Moibridismo, essa lei define que cada característica é determinada por um par de fatores herdados, que se separam na formação dos gametas e se unem novamente após a fecundação.

Nessa “disputa”, é estabelecida uma relação de dominância, que faz com que uma das características das duas espécies prevaleça.

Em síntese, Mendel concluiu que, mesmo as ervilhas híbridas – formadas a partir de duas linhagens diferentes –, formavam ervilhas com sementes amarelas na geração F1 e sementes amarelas e verdes na geração F2 (autofecundação), na proporção 75% para 25%, respectivamente.

Conhecimento Científico

Conhecimento Científico

Conhecimento Científico
Sementes verdes e amarelas podem ser formadas pela Lei de Segregação dos Fatores

Com isso, ele concluiu que a cor das sementes era determinada por dois fatores: o dominante, das sementes amarelas, e o recessivo, que determinou a presença de sementes verdes.

Entretanto, esse era apenas o começo da contribuição do botânico que marcaria os estudos da Genética com as Leis de Mendel.

Leis de Mendel – Lei da Segregação Independente

Também chamada de Diibridismo, a segunda Lei de Mendel diz respeito ao cruzamento de ervilhas de linhagens puras. Sementes amarelas e lisas, que representam o fator dominante, foram combinadas com sementes verdes e rugosas, que apresentam o fator recessivo.

A geração F1 foi autofecundada e originou apenas sementes amarelas e lisas, pois continham o fator dominante. Por sua vez, a geração F2 contou com quatro tipos de fenótipos e genótipos, que originou quatro tipos de sementes: amarelas e lisas, verdes e lisas, amarelas e rugosas e verde e rugosa.

Conhecimento Científico

Conhecimento Científico

Conhecimento Científico
O cruzamento pode ocasionar fatores dominantes ou recessivos, determinando a cor da ervilha

Em suma, as proporções foram de três quartos da geração com características dominantes e um quarto com características recessivas.

Ademais, a Segunda Lei de Mendel concluiu que fatores de características diferentes são herdados de forma independente, isto é, sementes amarelas nem sempre serão lisas e sementes verdes nem sempre serão rugosas.

A Terceira Lei de Mendel

Também chamada de Lei da Distribuição Independente, a terceira Lei de Mendel é um resumo das duas anteriores, portanto vários autores não a consideram nos estudos de Mendel. Contudo, ela cabe ser mencionada para uso didático.

Leis de Mendel: quais são, como surgiram e sua contribuição

Leis de Mendel: quais são, como surgiram e sua contribuição

Conhecimento Científico
A hereditariedade é um dos pilares da Genética e determina quais características são passadas de um organismo a outro

Ela diz que cada fator puro é transmitido, posteriormente, de forma independente, ou seja, híbridos possuem fator recessivo, mas que são encobertos pelo fator dominante.

E ai, o que você aprendeu sobre as Leis de Mendel? Para saber mais, leia também sobre o que é Hereditariedade.

Fontes: Toda Matéria, Educa Mais Brasil, Só Cientifica

Imagens: Freepik, Stmu History Media, Slide Player, Beduka, Toda Matéria. Voz do Bico.

Essa matéria Leis de Mendel – Quais são, como surgiram e características foi criada pelo site Conhecimento Científico.

Últimas