Hora 7 Crise: iguanas se reproduzem sem controle, causam acidentes e governo autoriza matança

Crise: iguanas se reproduzem sem controle, causam acidentes e governo autoriza matança

Autoridades da Flórida não sabem mais o que fazer para conter a espécie invasora, que ocupa estradas e rios do sul do estado

  • Hora 7 | Filipe Siqueira, do R7

Resumindo a Notícia

  • A reprodução em massa de iguanas causa problemas ambientais cada vez mais graves
  • Os animais comem colheitas, escavam calçadas e até moram em vasos sanitários
  • Para tentar conter o problema, governo da Flórida autorizou a caça sem restrições
  • Alguns exemplares da espécie chegam a 2 m
Autoridades liberaram a caça aos animais sem restrição

Autoridades liberaram a caça aos animais sem restrição

Reprodução/Instagram/Mike Kimmel

Está em curso uma nova crise na Flórida. Mas não tem nada a ver com inflação ou desemprego, e sim com as iguanas. Há vários anos, exemplares da espécie estão se reproduzindo aceleradamente no sul do estado, e autoridades já começaram uma política de tolerância zero com os répteis, que se espalham sem controle.

Apesar de ser totalmente inofensiva para humanos, além de um exótico e apreciado animal de estimação, a iguana é considerada invasora na região.

Tudo começou na década de 1960, quando um vendedor de animais exóticos trouxe 300 exemplares de iguana-verde (Iguana iguana) da América do Sul e os liberou em Miami.

Sem predadores, as iguanas se multiplicaram. Ajuda o fato de as fêmeas serem bastante férteis e porem até 76 ovos, em buracos escavados em calçadas ou regiões rurais. Nunca é demais lembrar que esses animais chegam a 2 m.

Elas são vistas em todos os lugares no estado

Elas são vistas em todos os lugares no estado

Reprodução/Twitter/@harrisalexc

Hoje, é comum encontrar iguanas nadando em canais, andando em calçadas, morando em vasos sanitários e até caindo de árvores em épocas frias. Ao contrário da maioria dos outros répteis, elas não são vistas correndo — ficam paradas a maior parte do tempo, para economizar energia.

Ou ainda quase matam ciclistas:

Elas também destroem construções ao escavar por baixo delas, devoram colheitas e atrapalham a locomoção em diversas regiões. Também defecam aos montes. Alguns sites da região chamam a situação de "crise da iguana".

A crise, aos poucos, toma formas de guerra. A Comissão de Conservação de Peixes e Vida Selvagem da Flórida autorizou a caça ao animal, sem restrições.

Alguns caçadores, como o campeão Mike Kimmel, matam até 90 iguanas num dia favorável. Para não perder a viagem, ele também costuma matar outras espécies invasoras da região, como lagartos-monitores, gansos-do-egito e patos-almiscarados (esse é nativo do Brasil, inclusive).

Mas, além de caçadores profissionais, o estado permitiu que todos matem iguanas em seus próprios terrenos. 

Como quase todas as espécies invasoras na Austrália e na própria Flórida, é possível que algum tipo de equilíbrio seja encontrado. Ou, ao menos, que as iguanas representem uma ameaça menos assustadora para espécies nativas em perigo.

Mas, por enquanto, a caça deve estar apenas começando.

LEIA MAIS: Invasão reptiliana! Iguanas tocam o terror em piscina de hotel luxuoso

Últimas