Reino Unido

Hora 7 Dono de casa com tubarão no teto luta contra o governo de novo

Dono de casa com tubarão no teto luta contra o governo de novo

Governo local quer tornar a famosa residência inglesa uma atração local, mas dono diz que isso vai contra o que ela representa

  • Hora 7 | Filipe Siqueira, do R7

Resumindo a Notícia

  • O dono de uma casa com uma estátua de tubarão luta contra o governo municipal
  • A residência foi construída para protestar contra leis locais que regulam os imóveis
  • Foram seis anos para a cidade de Oxford finalmente aceitar a estátua como legítima
  • Agora, o filho do dono original luta para que a residência não vire uma atração turística
Casa foi construída para protestar, mas agora pode ficar amiga da cidade

Casa foi construída para protestar, mas agora pode ficar amiga da cidade

Flickr/@robinhutton (Sob Licença Creative Commons)

Uma casa com a estátua de um tubarão no teto há duas gerações causa conflitos com o conselho municipal de Oxford (Reino Unido). A obra foi criada em 1986, sem permissão, justamente para protestar contra os excessos de regras da cidade para a construção de casas. Após uma primeira vitória nas rodas burocráticas locais, o filho do dono original da residência enfrenta uma nova batalha.

Bill Hanson-Heine encomendou a estátua de fibra de vidro do animal e a instalou em segredo no teto da casa, como se o tubarão tivesse atravessando o telhado. São 7,5 m de estátua para fora da casa, e o resultado é uma obra de arte esquisita.

Como era de esperar, logo depois Bill precisou lidar com os políticos do Oxford City Council (Conselho Municipal de Oxford) e as regras locais, que restringiam a forma como os imóveis deveriam ser construídos.

Foram seis anos de batalhas legais para que ele ganhasse uma permissão para que o tubarão permanecesse lá.

Corta para 2021, quando o mesmo conselho, obviamente ocupado por novos conselheiros, faz o inverso, e indica a casa para aparecer em um registro de locais importantes e turísticos da cidade.

Magnus, filho de Bill e atual dono da casa, disse que a inclusão vai contra tudo o que a casa representa.

Magnus classifica a atitude de "manobra política", por tentar dar uma "cara amigável" a uma casa que tentou demonstrar o excesso de regras do próprio sistema local.

Em entrevista ao tabloide The Sun, Magnus diz que "quase parece que estão roubando minha casa".

VALE O CLIQUE: Jovem constrói caverna gigante no quintal após brigar com os pais

A questão permanece em aberto e o dono da residência agora luta para ela ser retirada do registro, que inclui edifícios e estruturas que "fazem uma contribuição especial" à cidade.

Apesar de a classificação não trazer encargos nem obrigações extras ao dono da residência, Magnus enxerga o rótulo como um tipo de apropriação que ignora a própria história da construção dela, ao mesmo tempo em que mantém as leis que são o alvo do protesto da estátua.

O próprio Magnus também lucra com a Shark House, pois a aluga como apartamento no serviço Airbnb.

Em resposta, o conselho respondeu que levará "em consideração as opiniões de todos antes de tomar uma decisão final".

O prazo de inscrição e contestação acabou no dia 26, mas ainda não há uma data para uma resposta definitiva do órgão.

LEIA ABAIXO: Homem gasta R$ 3 mi em casa dos sonhos, mas recebe só metade dela

Últimas