Hora 7 Hospital citado por 'decamãe' em texto nega ter feito parto histórico

Hospital citado por 'decamãe' em texto nega ter feito parto histórico

Gosiame Thamara Sithole alega ter dado à luz dez bebês. Mas, permanece inacessível desde o anúncio dos nascimentos múltiplos

  • Hora 7 | David Plassa, do R7

Resumindo a Notícia

  • Jornal sul-africano revelou troca de mensagens entre os pais dos supostos décuplos.
  • Em uma delas, Gosiame Thamara Sithole cita um hospital como o local do parto histórico.
  • No entanto, a instituição nega que o procedimento tenha ocorrido por lá.
  • Com isso, o pai dos bebês pediu que doações em dinheiro à família sejam suspensas.
Hospital citado em mensagem por 'decamãe' nega ter feito parto com recorde de nascimentos

Hospital citado em mensagem por 'decamãe' nega ter feito parto com recorde de nascimentos

Reprodução/TimesLIVE

Gosiame Thamara Sithole, sul-africana que alega ter dado à luz dez bebês de uma vez, permanece inacessível, não apenas ao público, como também ao marido, Teboho Tsotetsi. Estratégia justificada como meio de garantir a segurança da mãe e das crianças, mas que reforça algumas contradições na história.

Dessa vez, o jornal Petroria News divulgou o que afirma ser uma troca de mensagens via WhatsApp entre os pais dos décuplos. Em dado momento, Gosiame afirma a Tsotetsi que o parto histórico seria realizado no Hospital Mediclinic Medforum, em Pretória, capital da África do Sul.

No entanto, contatado pelo site de notícias TimesLIVE, a instituição negou qualquer envolvimento com os nascimentos múltiplos. "Podemos confirmar que nenhuma de nossas instalações esteve envolvida no atendimento obstétrico dessa paciente ou de seus décuplos", declarou Tertia Kruger, porta-voz do hospital.

Outra incongruência apontada pela publicação sobre a troca de mensagens diz respeito à transferência a qual Gosiame afirma ter sido submetida na última sexta-feira (11), da Medclinic para o Hospital Acadêmico Steve Biko, também em Pretória. O TimesLIVE ressalta que, até o momento, autoridades sul-africanas garantem não terem encontrado o registro do parto em lugar algum de Gauteng, província onde possivelmente ocorreu o procedimento.

Decamãe 'desaparecida'

A matéria do Pretoria News também relata sobre um depoimento prestado por Tsotetsi à polícia no último sábado (12), motivado por um inquérito de "pessoa desaparecida", aberto por familiares de Gosiame.

Foto enviada recentemente por Gosiame a Tsotetsi

Foto enviada recentemente por Gosiame a Tsotetsi

Reprodução/Petroria News

Na ocasião, ele declarou que estava "preocupado com o paradeiro de Sithole e sua segurança, já que ela lhe disse que ele não tinha permissão para ver os décuplos devido às retrições da covid-19".

Mas, de acordo com apuração do site de notícias News 24, relatórios do departamento de desenvolvimento social local não apresentavam até a última sexta-feira (11) nenhum caso de pessoa desaparecida.

Segundo Tsotetsi, ele não vê a esposa desde o domingo anterior ao parto (6), quando deixou Gosiame em uma clínica em Tembisa, a cerca de 40 km de Pretória. Já na segunda (7), ela lhe enviou mensagem na qual dizia que o procedimento seria realizado no Hospital Mediclinic Medforum.

Em meio ao caos narrativo, o pai dos supostos décuplos pediu que doações em dinheiro à família sejam suspensas até que a esposa volte para casa.

Já uma mulher que passou quase metade da vida grávida deu à luz 22º bebê. Confira abaixo!

Últimas