Hora 7 Luta entre cobras gigantescas termina em empate mortal

Luta entre cobras gigantescas termina em empate mortal

Quando uma naja-rei e uma píton-reticulada se encontram, o resultado é sempre assustador

  • Hora 7 | Filipe Siqueira, do R7

Resumindo a Notícia

  • Uma foto chocante registrou o que acontece quando duas cobras gigantes brigam
  • Uma delas é a naja-rei, a maior cobra venenosa do mundo, que come outras cobras
  • A segunda é a píton-reticulada, o réptil mais longo do planeta
  • O encontro das duas, no Sudeste da Ásia, terminou com a morte de ambas
Esse é o resultado do encontro entre dois predadores espertos

Esse é o resultado do encontro entre dois predadores espertos

Reprodução/Facebook/Reptile Hunter

Você já se perguntou o que acontece quando a maior cobra venenosa do mundo (a naja-rei) briga com a maior cobra do mundo (a píton-reticulada)? Não é exatamente uma coisa boa.

É possível ver acima como terminou uma luta entre esses dois gigantes.

Se você não entendeu essa cena — que parece um mero detalhe de canto em uma gigantesca pintura de Hieronymus Bosch —, João Pedro Salgado, estudante de biologia, fotógrafo e dono do perfil Biodiversidade Brasileira, explicou a situação.

Sim, um empate que resultou na morte das duas. A venenosa morta por constrição e a constritora morta por envenenamento, após tomar uma mordida atrás da cabeça.

Não satisfeito, João nos deu alguns outros insights da rivalidade desses animais e ainda publicou imagens assustadoras até para mim, integrante veterano do HORA 7.

O encontro fatal foi registrado em fevereiro de 2018, no sudeste da Ásia, onde as duas espécies dividem algumas regiões. Vez ou outra, a imagem chocante repercute novamente em redes sociais.

"É um mundo perigoso lá fora, comer outras cobras grandes e coisas que podem te matar", comentou na época Coleman Sheehy, biólogo do Museu de História Natural da Flórida, em entrevista a National Geographic.

As duas cobras são superlativas. A naja-rei chega a 5 m e é especialista em devorar outras cobras, especialmente cobras grandes. Para isso, ela utiliza um potente veneno que desliga o sistema nervoso da vítima.

Já as piton-reticuladas, grandes estrelas do HORA 7, chegam a 9 m e utilizam músculos poderosos para matar uma presa rapidamente, interrompendo o fluxo de sangue e oxigênio.

Como as píton geralmente predam mamíferos, a luta provavelmente foi iniciada por um ataque da naja, sedenta por uma refeição farta.

Encontro de gigantes

Uma busca na vastidão da internet revelou o que podem ter sido outros dois encontros do tipo, ambos registrados em Cingapura, nos últimos anos.

O primeiro deles foi em agosto de 2014, no campus da Universidade Tecnológica de Nanyang.

Nas imagens, publicadas por estudantes do campus, é possível ver o que foi identificado como uma píton-reticulada enrolada em uma naja-rei. Segundo o estudante, a naja-rei tinha mais de 3 m, enquanto a píton parecia ter cerca de 2 m.

Segundo o Straits Times, cerca de 30 pessoas se reuniram para ver o embate, considerado inédito no campus.

O resultado da briga? A naja fugiu para o mato, provavelmente ao perceber que estava rodeada de humanos — ela acabou capturada no fim do dia, ao tentar retornar à área do campus.

Já a píton foi capturada logo após a luta, completamente exausta do embate. Ambas sobreviveram.

O outro encontro ocorreu em 2017, no Parque MacRitchie Reservoir, também em Cingapura. Aqui as emoções foram menores.

A naja-rei se preparou para morder o seu alvo preferido — atrás da cabeça —, mas a píton pode ter percebido, se enrolou, e a predadora se contentou em morder o dorso dela e fugir para a floresta novamente.

Segundo a mídia local, a píton acabou morrendo pela ação do veneno, mas a naja não voltou para devorar o corpo dela.

LEIA ABAIXO: Ciência alerta: cobras gigantes estão atacando humanos cada vez mais

Últimas