Hora 7 Mãe viciada em tatuagens 'estilo prisão' lamenta: 'Não consigo arrumar emprego'

Mãe viciada em tatuagens 'estilo prisão' lamenta: 'Não consigo arrumar emprego'

Melissa Sloan tem 45 anos de idade e dois filhos e revela se submeter à agulha em média três vezes por semana

  • Hora 7 | David Plassa, do R7

Resumindo a Notícia

  • Uma mãe do País de Gales com 45 anos e dois filhos revelou ser viciada em tatuagens
  • Especialmente as "no estilo prisão", conforme classificou as que o namorado desenha nela
  • Ela afirmou fazer em média três por semana, o que tem lhe custado caro na vida profissional
  • Segundo a britânica, ela não consegue emprego devido ao visual que mantém
Mãe viciada em tatuagens no 'estilo prisão' lamenta não conseguir emprego

Mãe viciada em tatuagens no 'estilo prisão' lamenta não conseguir emprego

Montagem/R7, com Facebook/Melissa Sloan

Uma mãe do País de Gales com 45 anos de idade e dois filhos revelou ao tabloide Daily Star ser completamente viciada em tatuagens, especialmente aquelas "no estilo prisão", conforme classificou as que o namorado desenha nela.

"Faço três tatuagens por semana", revelou Melissa Sloan à publicação britânica. "É como fumar um cigarro ou tomar uma bebida: você fica viciado."

Para manter a rotina da agulha, ela afirmou manter uma pistola de tatuagem no porta-malas do carro ou em qualquer outro lugar de fácil acesso. "Simplesmente não consigo parar", admitiu.

Um estilo de vida que, infelizmente, tem custado caro para a mamãe britânica em termos de oportunidades: "Não consigo arrumar emprego", lamentou. "Eles não me querem."

Melissa prefere as tattoos 'no estilo prisão', conforme classifica as que o namorado desenha nela

Melissa prefere as tattoos 'no estilo prisão', conforme classifica as que o namorado desenha nela

Montagem/R7, com Facebook/Melissa Sloan; Instagram/@melissa.sloan.75436

Melissa contou ter se candidatado a uma vaga para limpar banheiros na região onde vive. Mas não foi aceita justamente por causa das tatuagens que tanto ama.

Vale o clique: Monstro dos mares: lula-gigante que vive nas profundezas é encontrada em praia

"O primeiro trabalho que tive foi de limpeza, há muito tempo", lembrou. "Tive e não durou muito."

E, aparentemente, ela continua disposta a arregaçar as mangas: "Se alguém me oferecesse um emprego amanhã, eu aceitaria a oferta".

Ainda assim, a dificuldade encontrada no mercado de trabalho já era esperada pela britânica, que afirmou não conseguir "se encaixar com as pessoas" ao tentar ser ela mesma. "Eles não precisam me ouvir. Mas não vou a lugar nenhum", disse.

Por isso, evite se arrepender! Confira, a seguir, tatuagens que foram moda e hoje são bregas:

Últimas