Hora 7 Qual é a forma menos dolorosa de morrer? Cientistas tentam responder essa questão

Qual é a forma menos dolorosa de morrer? Cientistas tentam responder essa questão

  • Hora 7 | Do R7

A questão é difícil e divide cientistas!

A questão é difícil e divide cientistas!

Reprodução/Twitter Covers

Tirando uns poucos grupos suicidas, seres humanos fogem da morte a todo custo. Um dos nossos propósitos biológicos é justamente viver o maior tempo possível e assegurar o domínio de nossa espécie no planeta. Mas uma hora vamos morrer e não custa nada pensar um pouco a respeito do tema.

Uma das brincadeiras mais comuns que todos fazem quando criança é: "você prefere morrer esfaqueado ou afogado?", com variações óbvias ao gosto de quem pergunta. Grupos científicos pensam a respeito disso a sério, questionando qual seria a forma "menos pior" de morrer.

A questão se tornou meio polêmica quando, em novembro do ano passado, o cientista britânico Dr. Richard Smith afirmou que morrer de câncer era a forma menos pior de morrer. Muitos pacientes vão obviamente discordar, pela dor envolvida na doença, mas Smith tinha lá seus argumentos sinceros.

Segundo ele, é possível se preparar, dar adeus a familiares e pensar no passado. Nada é abrupto com a morte por câncer. De acordo com muitos cientistas, alguns pacientes podem até prever com algum grau de certeza quando o momento chega.

Smith foi escorraçado pela opinião pública. Muitas dessas pessoas viram parentes morrer de câncer e, sem dúvida, ver isso deve ter sido traumático. Aliás, em muitas pesquisas sobre formas de morrer, as pessoas foram unânimes em deixar claro que não gostariam de mortes lentas e dolorosas. Elas querem algo instantâneo, imediato e com o mínimo de dor; e que ainda assim viesse no momento certo. Algo meio óbvio, por sinal.

A revista Vice fez uma matéria sobre o assunto em 2015 e rechaçou diversas possibilidades aparentemente "confortáveis". Cair de grandes alturas no chão pode ser doloroso por, antes, ocasionar rupturas de órgãos internos. Mortes aparentemente rápidas por ataque cardíaco envolvem dores super intensas no peito. Qualquer um que conversar com conhecidos que já infartaram descobrirão que ter uma parada cardíaca "é como ter um elefante sobre o peito", ou algo do gênero, depende da capacidade poética da pessoa que descrever o processo.

Mas qual é a melhor forma, afinal? O pai do ator Matthew McConaughey morreu enquanto fazia sexo com a esposa, e ela descreveu isso "como a melhor forma de morrer". Não foi divulgada a forma como ele morreu, mas ele provavelmente sofreu um pouco, embora o contexto tenha aliviado a dor.

Entre as outras opções aparentemente "tranquilas", uma delas é a guilhotina. Simplesmente porque é rápida e não falha. O único incômodo parece ser o fato de demorar uns sete segundos até você apagar de verdade, embora esse número tenha lá seus opositores. O fato é que parece ser a morte "ideal" para quem busca algo rápido e indolor, mas a tensão pré-morte pode ser um problema.

Então chegamos a uma resposta que deve agradar a muitos, citada no mesmo artigo da revista Vice. Rufem os tambores. Aparentemente, uma parada cardíaca súbita (PCS) enquanto dorme. Uma PCS ocorre devido ao mal funcionamento do sistema elétrico do coração. É diferente do ataque cardíaco, que envolve artérias entupidas e um sofrimento muscular intenso do coração.

E se ocorrer enquanto você dorme, é improvável que te faça acordar. Ou seja: morreu dormindo, como muitos sonham. O problema: pode ocorrer a qualquer momento, o que te impede de se despedir das pessoas. Não dá para ter tudo vida.

Volte à sua infãncia e vote aí, qual a maneira menos pior de morrer?

Últimas