Segredos do Mundo Ovelha Negra – Definição, origem e por que você não deve usar

Ovelha Negra – Definição, origem e por que você não deve usar

A expressão 'ovelha negra' possui diversos significados, tendo ainda conotação racista como outros termos que são usados de forma pejorativa. Essa matéria Ovelha Negra – Definição, origem e por que você não deve usar foi criada pelo site Segredos do Mundo.

O termo ‘ovelha negra’ tem suas origens em duas questões, sendo a primeira de ordem biológica e a segunda de ordem econômica. Para esclarecer, as ovelhas, de lã branca, na biologia, refere-se a um gene dominante, ao invés do albinismo. Assim, na maioria das raças, as ovelhas pretas são raras. Desse modo, elas exigem que ambos os pais sejam portadores do gene recessivo.

Nesse sentido, a origem negativa do termo ovelha negra refere-se ao abate desses animais com pelagem de cores mais escuras como cinza, marrom e especialmente preto. A lã preta tem sido tradicionalmente vista como menos valiosa comercialmente, porque ela não pode ser tingida. Assim, a lã escura é tão indesejável que os cientistas estão trabalhando para desenvolver um teste genético para identificar os portadores do gene para lãs negras.

Ovelha negra da família

Segredos do Mundo

Segredos do Mundo

Segredos do Mundo
Fonte: Pinterest

Em muitas culturas, o termo “ovelha negra” passou a significar o membro de má reputação ou indesejável do grupo ou da família. Dentro dos grupos humanos, a chamada ovelha negra frequentemente adquire seu status inferior de um ou dois líderes que determinam os valores e regras não declarados para uma família ou grupo. Portanto, muitos usam esse rótulo com orgulho e se distanciam do grupo que os desvaloriza e os exclui.

Dessa forma, o “Efeito Ovelha Negra” refere-se ao fenômeno psicológico no qual os membros de um grupo julgam alguns integrantes mais severamente, por não cumprirem determinadas regras ou não se adequarem ao grupo. Em outras palavras, quando um membro do grupo se comporta de maneira diferente, ele pode ser excluído.

No caso da família, queremos que os membros do grupo se encaixem porque seu comportamento reflete em nossa própria identidade, porém as pessoas que agem de outro modo atraem atenção negativa.

Em suma, como lido acima, os rebeldes ou ovelhas negras que não cumprem as regras estabelecidas, podem receber desprezo, julgamentos e poucas são as tentativas de trazer o membro desobediente de volta aos valores dominantes do grupo. Por fim, esse fenômeno também é conhecido como ‘favoritismo endogrupal.’

Por que não se deve utilizar esta expressão?

Ovelha Negra: definição, origem e por que você não deve usar

Ovelha Negra: definição, origem e por que você não deve usar

Segredos do Mundo
Fonte: Pinterest

Além de ‘ovelha negra’ há uma extensa lista de expressões que as pessoas percebem a conotação racista. Termos como “cor do pecado” ou “a coisa tá preta” e “cabelo ruim” se tornaram naturais no linguajar do brasileiro. Todavia, especialistas avaliam que isso é resultado da opressão e do preconceito que estão incorporados à visão de mundo das pessoas. Portanto, além de ovelha negra, confira abaixo outras expressões que usamos no cotidiano, sem saber, mas que devemos evitá-las:

“Cor de pele”

Desde a infância aprendemos que “cor de pele” é aquele lápis entre o rosado e o bege. Todavia, essa tom não representa a pele de todas as pessoas, principalmente em um país como o Brasil.

“Doméstica”

Negros eram tratados como animais rebeldes e que precisavam de “corretivos”, para serem “domesticados”.

“A dar com pau”

Essa expressão foi originada nos navios negreiros, onde muitos negros faziam greve de fome na travessia entre o continente africano e o Brasil. Para obrigá-los a se alimentar, inventaram um pau para dar comida de modo violento.

“Meia tigela”

Punição dada aos negros quando cometiam alguma ‘infração’ no trabalho. Para esclarecer, eles eram alimentados com metade da tigela de comida e ganhavam o apelido de “meia tigela”, que hoje significa algo medíocre e sem valor.

“Mulata”

Na língua espanhola, referia-se ao filhote macho do cruzamento de cavalo com jumenta ou de jumento com égua. Ademais, o termo ainda refere-se a visão do corpo da mulher negra como mercadoria, usada como termo pejorativo dando ideia de sedução, sensualidade.

“Cor do pecado”

Assim como o termo ‘mulata’, também refere-se a mulher negra sensualizada.

“Cabelo ruim”

“Nega do cabelo duro”, “cabelo ruim” e “piaçava” são termos que depreciam o cabelo afro. Por vários séculos, causaram a negação do próprio corpo e a baixa autoestima entre as mulheres negras que não possuíam o cabelo liso.

“Denegrir – tornar negro”

Usado como sinônimo de difamar, denegrir possui na raiz o significado de “tornar negro”, como algo ruim e ofensivo, “manchando” uma reputação antes “limpa”.

“A coisa tá preta

Assim como denegrir, também é uma fala racista que se refere a uma situação desconfortável, desagradável, bem como difícil e perigosa.

“Mercado negro”, “magia negra”, “lista negra” e “ovelha negra”

São expressões em que a palavra ‘negro’ representa algo pejorativo, prejudicial, ilegal.

“Inveja branca, inveja negra”

A ideia do branco como algo positivo é impregnada na expressão que reforça, ao mesmo tempo, a associação entre preto e comportamentos negativos.

Gostou desse conteúdo? Então, clique e leia também: Black Music – Origem, desafios, características e representantes do ritmo

Fontes: JRM Coaching, Significados, Só Português, A mente é maravilhosa, IBC Coaching

Fotos: Pinterest

Essa matéria Ovelha Negra – Definição, origem e por que você não deve usar foi criada pelo site Segredos do Mundo.

Últimas