A história da foto que marcou os protestos antirracistas em Londres

Quem é o manifestante negro que carregou um homem branco ferido em um protesto da extrema-direita contra as manifestações antirracistas

Patrick Hutchinson carrega manifestante para fora de confusão no sábado

Patrick Hutchinson carrega manifestante para fora de confusão no sábado

Dylan Martinez / Reuters - 13.6.2020

A cena, registrada por fotógrafos perto da estação Waterloo, em Londres, no último sábado (13), tomou conta das redes sociais do Reino Unido. Em meio a um protesto contra o racismo que foi atacado por manifestantes de extrema-direita, um homem negro carregou um branco para fora da confusão.

Leia também: Em defesa de estátuas visadas por grupos antirracistas, manifestantes se chocam com policiais em Londres

A história por trás da imagem se tornou pública no domingo (14), quando Patrick Hutchinson, que levou nos ombros o manifestante de extrema-direita que estava ferido, contou mais detalhes sobre o que aconteceu, em entrevistas às emissoras britânicas BBC e Channel Four.

Em defesa do futuro

Hutchinson e um grupo de amigos, todos com treinamento em artes marciais, foram ao protesto para tentar impedir o maior número possível de atos de violência. Ao verem o homem ferido, caído no chão e cercado por manifestantes, eles viram o potencial para mais uma tragédia e decidiram agir.

"Fizemos o que tínhamos de fazer. Vi que a vida dele estava em risco, me enfiei ali, joguei ele no meu ombro e o levei até onde ele estaria em segurança. Não tive nem tempo de ficar assustado", contou Hutchinson, que trabalha como segurança. 

Ele também fez questão de dizer que apoia os atos antirracistas e pediu "igualdade" para minorias étnicas. Para ele, se os três policiais que estavam com George Chauvin no dia em que George Floyd foi morto em Minneapolis tivessem agido como ele e seus amigos, a tragédia poderia ter sido evitada.

"Aquilo tinha tudo para acabar muito mal. Dava para saber o que ia acontecer, tudo ia ser sobre o homem branco que foi morto por jovens negros, seria o pior, a gente não podia deixar aquilo acontecer", disse um dos amigos de Hutchinson, o comerciante Pierre Noah.

Para outro integrante do grupo, o personal trainer Jamaine Faucey, foi uma escolha fácil. "Eu não estava protegendo a vida dele necessariamente, estava protegendo a vida daqueles garotos, o futuro deles. Juiz nenhum ia levar em conta o que aconteceu antes, se tinha havido um confronto", afirmou.

A imagem de Hutchinson com o manifestante no ombro foi divulgada e aclamada por políticos de diversos partidos do Reino Unido, desde o gabinete do primeiro-ministro Boris Johnson até parlamentares do partido Trabalhista, da oposição.