Internacional Acusado de enviar carta envenenada ao presidente Obama era sósia do cantor Elvis Presley

Acusado de enviar carta envenenada ao presidente Obama era sósia do cantor Elvis Presley

Kevin Curtis escreveu em redes sociais que autoridades americanas queriam destruir sua carreira

  • Internacional | Do R7 com agências internacionais

Reprodução/dailymail.co.uk

O norte-americano Paul Kevin Curtis, de 45 anos, acusado de enviar cartas contendo ricina, um veneno mortal, ao presidente Barack Obama e ao senador Roger Wicker, tem uma profissão bastante curiosa: ele é sósia do cantor Elvis Presley. E o medo de ter sua carreira ameaçada é o que o teria levado a cometer o ato, segundo o jornal Daily News.

As cartas foram enviadas a Obama e ao senador republicano Roger Wicker, do Mississippi, e estavam assinadas por "KC". Curtis foi preso ontem às 17h15 (19h15 em Brasília), em sua casa em Corinth, Mississippi. As cartas "continham uma substância granular que deu positivo para ricina", revelou o Departamento de Justiça.

Na página do Facebook que se acredita ser de Kevin Curtis, conhecido artisticamente como KC, há mensagens suspeitas.

— É uma conspiração para arruinar minha reputação na comunidade, bem como um esforço contínuo para destruir aquilo que eu demorei mais de 20 anos para construir na cena musical do país.

Outras postagens foram publicadas, sempre contendo acusações aleatórias nas quais Curtis relata que teve a casa queimada, o casamento destruído e computadores roubados. Uma das publicações atacava parentes próximos.

— Minha mãe quer que eu cale a boca. Meus irmãos têm medo de mim. Minha irmã me odeia. Meus primos são hostis comigo. Eu perdi a maioria dos meus amigos. Eu gastei mais de US$ 130 mil em 13,5 anos.

Uma das últimas mensagens trazia a foto de um revólver com a legenda: "Digam oi para meu amiguinho".

O primo de Curtis, Ricky Curtis, disse que a família está em choque com a prisão e definiu o acusado como um ótimo profissional "que personificou Elvis e diversos outros cantores".

Boston reforça segurança para visita de Obama

Ricina pode matar. Saiba como

Ricky comentou sobre problemas que o primo, fãs de artes marciais, havia tido com a empresa de limpeza da qual é dono e a insatisfação com o governo, que "não o havia tratado bem". Ainda assim, ninguém na família esperava por isso.

Mensagens na internet referem-se também a uma conspiração que Curtis diz ter descoberto na época em que trabalhava em um hospital, entre 1998 e 2000, quando ele afirma ter tropeçado em uma geladeira repleta de partes de corpos e órgãos humanos desmembrados, embrulhados em sacos plásticos, no maior necrotério da região.

Investigação

Um boletim do FBI obtido pela emissora Fox News afirma que as forças de segurança "estão analisando" as cartas. Ambos os documentos teriam a mesma frase: "Ver algo errado e não demonstrá-lo é se transformar em um aliado silencioso de sua continuidade".

Além disso, as duas cartas têm a mesma assinatura: "sou KC e aprovo essa mensagem". Ambas deram positivo em um exame preliminar para ricina, uma toxina cujo pó esbranquiçado é mortal se inalado e chegar à corrente sanguínea.

Curtis foi detido no Mississipi, o mesmo Estado representado por Wicker no Congresso.

O FBI descartou horas antes que a carta dirigida a Obama estivesse relacionada com as explosões ocorridas na Maratona de Boston, na segunda-feira (15), que deixou três mortos e mais de 180 feridos.

A carta foi interceptada na terça-feira (16) em um escritório dos correios fora da Casa Branca e "imediatamente posta em quarentena pelo pessoal do Serviço Secreto", segundo a agência, que ordenou análises adicionais para determinar se efetivamente se trata de ricina.

Outros três pacotes suspeitos foram registrados ontem em dois edifícios do Senado e no escritório de um senador em Michigan, mas por enquanto se desconhece se continham alguma substância química.

O que acontece no mundo passa por aqui

Moda, esportes, política, TV: as notícias mais quentes do dia

Últimas