Coronavírus

Internacional Agência Europeia defende uso da vacina de Oxford contra covid-19

Agência Europeia defende uso da vacina de Oxford contra covid-19

Recentes casos de trombose na Europa levantam suspeita sobre possível relação entre imunizante e a formação de coágulos

  • Internacional | Da AFP

Diretor-executivo do medicamento se pronunciou nesta terça-feira (16)

Diretor-executivo do medicamento se pronunciou nesta terça-feira (16)

Joel Saget / AFP - 11.3.3021

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) continua "firmemente convencida" dos benefícios da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com o laboratório AstraZeneca, anunciou seu diretor-executivo nesta terça-feira (16), apesar dos temores sobre possíveis efeitos colaterais até agora não demonstrados.

"Continuamos firmemente convencidos de que os benefícios da vacina de Oxford na prevenção de covid-19, com seu risco associado de hospitalização e morte, superam os riscos desses efeitos colaterais", afirmou Emer Cooke em entrevista coletiva.

Os temores sobre a segurança da vacina começaram depois que um paciente vacinado morreu na Áustria, apesar de não haver conexão clara entre a vacina e o óbito. Na Noruega e na Holanda, pessoas que receberam o imunizante desenvolveram trombose, e uma mulher morreu na Noruega, mas os órgãos de saúde ressaltaram que não sabiam se a vacina era a responsável pelos coágulos no sangue.

Apesar disso, diversos países europeus deixaram de usar a vacina até sair a decisão da Agência Europeia de Medicamentos. A Organização Mundial da Saúde havia aconselhado as autoridades a manterem a vacina de Oxford no quadro de imunização, já que não havia indícios de que o imunizante era culpado pelas mortes e doenças.

O laboratório que desenvolve a vacina de Oxford, a AstraZeneca, garantiu que a vacina é segura e eficaz.

Últimas