Internacional AIEA alcança acordo com o Irã sobre material de monitoramento

AIEA alcança acordo com o Irã sobre material de monitoramento

Rafael Grossi, diretor-geral da agência, está em Teerã para negociação sobre o programa nuclear do país

AFP
Chefe da Agência de Energia Atômica do Irã, Mohammad Eslami, durante discurso sobre acordo nuclear

Chefe da Agência de Energia Atômica do Irã, Mohammad Eslami, durante discurso sobre acordo nuclear

HO / Atomic Energy Organization of Iran / AFP - 12/09/21

A AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica), cujo diretor-geral Rafael Grossi está em Teerã, anunciou, neste domingo (12), que chegou a um acordo com o Irã a respeito dos equipamentos de monitoramento de seu programa nuclear, poucos dias depois de denunciar a falta de cooperação das autoridades iranianas.

"Os inspetores da AIEA têm autorização para intervir, a fim de manter o equipamento e substituir os discos rígidos", disse o órgão da ONU em um comunicado conjunto com a Organização Iraniana de Energia Atômica.

A agência, porém, continuará sem acesso aos dados das câmeras, enquanto, em fevereiro, Teerã havia se comprometido a fornecê-los em longo prazo, se as negociações para salvar o acordo internacional de 2015 forem bem-sucedidas.

Desta forma, Grossi, que realiza sua segunda viagem ao Irã este ano, assegurou a continuidade do monitoramento do programa nuclear iraniano.

A AIEA estava, de fato, preocupada em perder dados em caso de saturação da capacidade de registro das ferramentas.

Ele retornará a Teerã "em um futuro próximo para consultas de alto nível", segundo informa o comunicado da agência, que insiste na "cooperação e confiança mútuas das duas partes".

A visita ocorre poucos dias após a entrega de um relatório do gendarme nuclear da ONU acusando o Irã de falta de cooperação, e antes de uma reunião, a ser realizada a partir de segunda-feira (13), do Conselho de Governadores da Agência.

Em virtude de uma lei aprovada em dezembro por seu Parlamento, o Irã restringiu em fevereiro o acesso dos inspetores da AIEA a algumas de suas instalações nucleares.

Um acordo foi negociado para garantir um certo grau de vigilância, mas expirou em junho.

"Desde fevereiro de 2021, as atividades de verificação e vigilância foram seriamente prejudicadas pela decisão do Irã" de restringir as inspeções, denunciou a AIEA na terça-feira em um relatório consultado pela AFP.

Citado pela agência oficial Irna, Eslami saudou "negociações boas e construtivas com o Sr. Grossi".

"Ficou decidido que os especialistas da Agência virão ao Irã para substituir os cartões de memória das câmeras técnicas de vigilância", apontou. "Eles permanecerão selados no Irã e novos cartões serão instalados".

Este novo arranjo oferece um alívio às grandes potências, que estão tentando ressuscitar o acordo de Viena, colocado em apuros em 2018 pela decisão do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de se retirar unilateralmente e restaurar as sanções americanas.

Em resposta, o Irã se livrou da maioria de seus compromissos.

As negociações iniciadas em abril para tentar ressuscitar o acordo por meio da reintegração de Washington estão suspensas desde 20 de junho, dois dias após a vitória presidencial do ultraconservador Ebrahim Raïssi.

Após a publicação do relatório da AIEA, Raïssi garantiu na quarta-feira que seu país era "transparente".

"Claro, no caso de uma abordagem não construtiva da AIEA, não é razoável esperar uma resposta construtiva do Irã", disse ele, no entanto.

Por sua vez, o secretário de Estado americano, Antony Blinken, alertou após a publicação do relatório que os Estados Unidos estavam "perto" de abandonar seus esforços para reativar o acordo.

Já o primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, contrário ao acordo, acusou o Irã na sexta-feira de continuar a "mentir para o mundo".

"Israel vê com extrema gravidade a imagem refletida no relatório (da AIEA), que prova que o Irã continua a mentir para o mundo e a promover um programa de desenvolvimento de armas nucleares, em violação de suas obrigações internacionais”, afirmou.

Últimas