Alemanha prorroga recomendação de não viajar ao exterior até junho

Restrição de viagens foi imposta em março apenas para regiões de risco, agora, alemães não devem deixar o país a menos que viagem seja inadiável

Alemanha prorroga restrições de viagens

Alemanha prorroga restrições de viagens

Kai Pfaffenbach/Reuters - 15.3.2020

O governo da Alemanha prorrogou a recomendação de não viajar para nenhuma parte do mundo até o dia 14 de junho, exceto para casos de deslocamentos inadiáveis, e sugeriu uma coordenação entre países europeus para a adoção de novas medidas em meio à pandemia de coronavírus.

O ministro das Relações Exteriores alemão, Heiko Maas, foi o encarregado de anunciar a prorrogação da recomendação, emitida pela primeira vez em 17 de março. Até então, o aviso era direcionado apenas às regiões consideradas de risco.

"As drásticas restrições ao tráfego aéreo e outras formas de viagem persistem em escala global, e o tráfego internacional de passageiros está no fundo do poço. As medidas de quarentena, limitações de movimento e da atividade pública continuam em muitos países", disse o ministro ao justificar a decisão.

Maas também mencionou a necessidade de coordenar medidas contra a pandemia com os parceiros europeus, de modo a avançar rumo a uma "normalização da situação".

"Neste momento, a segurança do viajante não pode ser garantida, pois a pandemia não está sob controle", argumentou.

Repatriação e turismo doméstico

O ministro destacou a complexidade de repatriar para a Alemanha cerca de 230 mil cidadãos que ficaram retidos em diferentes partes do mundo quando as fronteiras começaram a ser fechadas e diversos voos foram cancelados em meio à propagação da pandemia.

O governo alemão anunciou recentemente que os cidadãos provavelmente não poderão passar as férias no exterior no próximo verão. Espera-se que o turismo doméstico seja possível, embora com restrições e com respeito às regras de distanciamento social e higiene.

O próprio Maas advertiu há alguns dias que não se poderia esperar "férias como de costume" por causa das restrições à liberdade de circulação em escala global.

A Alemanha é o sexto país do mundo mais afetado pela pandemia, atrás de Estados Unidos, Itália, Espanha, França e Reino Unido. Até esta quarta-feira, o Instituto Robert Koch, órgão responsável pelos dados da Covid-19 na Alemanha, verificou 157.641 infecções e 6.115 mortes, enquanto o número de pacientes recuperados é de 120.400.

A Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, que utiliza outro sistema de atualização de dados, eleva os números da Alemanha para 159.912 casos e 6.314 mortes.