Coronavírus

Internacional Alemanha restringe vacina de Oxford para menores de 60 anos

Alemanha restringe vacina de Oxford para menores de 60 anos

Ministério da Saúde alemão tomou a decisão por conta dos casos de formação de coágulos entre vacinados

  • Internacional | Do R7, com AFP e EFE

Imunizante só será aplicado em menores de 60 com autorização médica

Imunizante só será aplicado em menores de 60 com autorização médica

Manuel Bruque / EFE - Arquivo

A Alemanha vai reservar a vacina da Universidade de Oxford/AstraZeneca contra a covid-19 às pessoas maiores de 60 anos depois de vários casos de formação de coágulos sanguíneos, anunciaram nesta terça-feira (30) os Ministérios da Saúde regionais e federal.

Leia também: Vacina de Oxford: Alemanha tem nove mortes por trombose

No entanto, os menores de 60 anos que quiserem poderão decidir tomar a vacina, mas só depois de "consultar um médico que pratique a vacinação (...) e uma análise personalizada dos riscos", destacaram os ministros das 16 regiões alemãs e o ministro federal, em um comunicado ao fim da reunião.

A medida é fundamentada em "dados existentes sobre efeitos secundários que são raros, mas graves", indica comunicado emitido pelo Instituto Robert Koch (RKI), a agência epidemiológica do país.

De acordo com o órgão, os efeitos podem se manifestar de quatro a 16 dias depois de ser administrada uma das doses entre pessoas com menos de 60 anos.

Decisão governamental

Nesta terça, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, se reuniu com o ministro da Saúde, Jens Spahn, e com líderes regionais, para abordar a situação dos casos de reação à vacina da AstraZeneca.

Diversos estados federados, entre eles, Berlim, suspenderam o uso do agente imunizante desenvolvido pela companhia farmacêutica anglo-sueca, para pessoas com menos de 60 anos. Munique, Brandemburgo, Renânia do Norte e Westfália, também paralisaram a vacinação.

Hoje, a revista alemã "Der Spiegel", veiculou que o Instituto Paul-Ehrlich, centro de referência para a vacinação na Alemanha, detectou 31 casos de trombose em pessoas que foram imunizadas com a vacina da AstraZeneca, sendo que nove pessoas morreram.

De acordo com a publicação, em 19 casos, foi identificado um déficit de plaquetas nas amostras de sangue analisadas, e o instituto apontou que, entre os mortos, apenas dois eram homens, de 36 e 57 anos.

O Instituto Paul-Ehrlich divulgou que os demais casos de trombose sinusal venosa se referem a mulheres com idades compreendidas entre 20 e 63 anos

Últimas