Coronavírus

Internacional Alemanha vai impor testes a viajantes não vacinados a partir de agosto

Alemanha vai impor testes a viajantes não vacinados a partir de agosto

Locais de origem das pessoas que entrarem no país serão divididos entre alto e baixo risco em relação às variantes mais agressivas

Agência EFE
Viajantes que entrarem na Alemanha a partir de 1° de agosto precisarão realizar testes de covid

Viajantes que entrarem na Alemanha a partir de 1° de agosto precisarão realizar testes de covid

EFE/EPA/SASCHA STEINBACH

A Alemanha exigirá, a partir do dia 1° de agosto, um teste negativo de covid-19 para todos os viajantes com mais de 12 anos de idade que não tenham recebido a dosagem completa ou já tenham contraído a doença, independentemente de sua rota de acesso ao país.

Se forem provenientes de uma das regiões onde se encontram as variantes mais agressivas da covid-19, a obrigatoriedade do teste será estendida a todos os viajantes, conforme resolução aprovada nesta sexta-feira pelo governo federal.

Leia mais: Variante Delta da covid-19 obriga aumento de restrições pelo mundo

O objetivo do governo, indicou sua vice-porta-voz, Ulrike Demmer, é otimizar o controle sobre os viajantes que entram no país e conter a disseminação do coronavírus.

Juntamente com as novas regras de entrada, as categorias de locais de origem consideradas de risco serão simplificadas e reduzidas a duas: alto risco, por um lado, e baixo domínio das variantes mais agressivas, por outro.

Na primeira categoria, a de alto risco, viajantes não imunizados dessas áreas são colocados em quarentena por dez dias, que podem ser reduzidos a cinco se um teste negativo for apresentado no quinto dia.

Para países de alto risco com domínio de variantes, como o Brasil, as restrições são mais severas, uma vez que apenas viajantes alemães ou residentes na Alemanha têm permissão para entrar no país e também devem ser colocados em quarentena por 10 dias.

Leia mais: México teve 35% mais mortes por covid em 2020 que o divulgado

O novo regulamento foi implementado após semanas de aumento constante na incidência de infecções. Em julho, caiu para 4,9 casos semanais por 100 mil habitantes, enquanto agora está em uma média nacional de 18,5 casos. Em Berlim, com o nível mais alto do país depois de Hamburgo, subiu para 27,8.

As autoridades do país também observam com preocupação a evolução dos casos "importados", de cidadãos que regressam de uma estada no exterior ou em visita ao país.

Últimas