Internacional Ameaças de bomba nos EUA fecham escolas, empresas e emissoras

Ameaças de bomba nos EUA fecham escolas, empresas e emissoras

E-mail pedindo 'resgate' de US$ 20 mil circulou em diversas instituições do país, mas até o momento nenhuma bomba real foi encontrada

bombas eua

E-mail disseminado nos EUA pedia um 'resgate' de US$ 20 mil em bitcoins

E-mail disseminado nos EUA pedia um 'resgate' de US$ 20 mil em bitcoins

Reprodução / Twitter

Dezenas de ameaças de bomba circularam em diversas cidades dos Estados Unidos durante esta quinta-feira (13), causando confusão e algum pânico. Até o momento, no entanto, nenhum artefato explosivo foi localizado pelas forças de segurança, ao contrário das dezenas de bombas enviadas pelo correio em outubro.

Em todo o país, prédios foram evacuados e esquadrões anti-bomba tiveram um dia movimentado. Na noite de quarta (12), a polícia chegou a evacuar a sede do Facebook, perto de San Francisco, por uma ameaça semelhante, mas nada foi encontrado.

Também nesta quinta, a Columbine High School, palco do massacre de abril de 1999 onde 12 estudantes e um professor foram mortos, também foi fechada por uma ameaça de bomba, mas feita por telefone. Assim como no restante do país, nada foi localizado.

Segundo a imprensa norte-americana, emissoras de televisão, departamentos de polícia, órgãos do governo e administradores de edifícios comerciais receberam e-mails semelhantes, em que o autor exigia que quantias em dinheiro, em geral US$ 20 mil (cerca de R$ 78 mil) fossem transferidos para uma conta de bitcoins, para que os supostos explosivos não fossem acionados.

Reações da polícia

O departamento de polícia de Nova York emitiu um comunicado em sua conta no Twitter, alertando o público sobre as ameaças, mas esclarecendo que, até o momento, os comunicados não foram considerados como dignos de confiança.

"Por favor, estejam avisados: há um e-mail circulando, contendo uma ameaça de bomba e exigindo um pagamento em bitcoins. Apesar desse e-mail ter sido enviado a diversos locais, buscas foram realizadas e nenhum artefato foi encontrado", dizia o comunicado.

A polícia de Oklahoma City fez um comunicado semelhante via Twitter: "houve ameaças similares em diversos locais ao redor do país e nenhuma ameaça séria foi encontrada até o momento".

Outros locais com muita circulação pública, como escolas e prédios comerciais, também relataram ameaças, pedidos de resgate e nenhuma bomba encontrada. Universidades da Pensilvânia até Utah tiveram buscas por artefatos.

Houve também buscas em hospitais e até na biblioteca da Universidade de Georgetown, na capital do país, Washington.

As ameaças

Em dezenas de relatos, o e-mail tinha o texto parecido, com muitos erros de ortografia em inglês. Pessoas cujos negócios foram fechados há anos e outras que trabalham em casa receberam o mesmo texto, falando que as bombas tinham sido colocadas "na sede da sua empresa".

O consultor financeiro Elliott Weir, de Houston, no Texas, se divertiu com a situação. "Recebi um novo golpe... uma ameaça de explodir meu prédio comercial. Não, eu não vou "tansferir" (sic) 20 mil dólares em bitcoins. Como trabalho em casa, eu duvido que seu 'mercenário transportou a bomba para dentro do prédio'".

O FBI afirmou que está ciente das ameaças e ofereceu assistência às polícias municipais para monitorar a situação e fornecer eventual apoio logístico.