Novo Coronavírus

Internacional Anti-máscaras são obrigados a abrir covas em cemitério na Indonésia

Anti-máscaras são obrigados a abrir covas em cemitério na Indonésia

Distrito tem apenas três coveiros e líder local determinou que homens que se recusavam a usar proteção ajudassem a abrir vagas no cemitério

  • Internacional | Do R7, com Reuters e EFE

Grupo também teve que assistir a velório

Grupo também teve que assistir a velório

Reprodução

Oito homens que se recusavam a usar máscara na Indonésia foram punidos por autoridades locais e forçados a abrir covas destinadas às vítimas da covid-19.

Um vídeo mostra o grupo trabalhando em um cemitério no distrito de Cerme, no Oeste de Java.

Eles também rezam pelos mortos pela pandemia no país.

O líder distrital de Cerme, Suyono, que supostamente sugeriu a punição, disse:

"Existem apenas três coveiros disponíveis no momento, então pensei que poderia muito bem colocar essas pessoas para trabalhar com eles", informou a agência Reuters.

"Depois de cavar a sepultura, eles receberam máscaras e tiveram que assistir ao funeral à distância", acrescentou Suyono, segundo a agência EFE.

Leia também: Coronavírus: 'fantasmas' patrulham as ruas para manter pessoas em casa na Indonésia

Na segunda-feira passada, as autoridades locais puniram outra dúzia de infratores e os obrigaram a cavar sepulturas, mas posteriormente comutaram a punição por limpar a praça da cidade.

No entanto, eles não descartam que voltarão a forçar aqueles que não usam máscara a escavar sepulturas.

A Indonésia reportou na quarta-feira (16) 3.963 novas infecções por coronavírus, elevando o número total do país para 228.993.

Últimas