Coronavírus

Internacional Após 8 meses, Chile reabrirá fronteiras terrestres em dezembro

Após 8 meses, Chile reabrirá fronteiras terrestres em dezembro

Pessoas vacinadas com doses de reforço poderão entrar no país sem apresentar teste negativo para a Covid-19

Agência EFE
Fronteiras terrestres com Argentina, Bolívia e Peru serão reabertas no início de dezembro

Fronteiras terrestres com Argentina, Bolívia e Peru serão reabertas no início de dezembro

Ivan Alvarado/Reuters

As autoridades sanitárias do Chile anunciaram que o país reabrirá as fronteiras terrestres a partir de 1º de dezembro, após um fechamento que durou oito meses e durante o qual a entrada só foi permitida parcialmente através de alguns aeroportos.

Segundo a subsecretária de saúde, Paula Daza, será possível entrar no país por terra em três pontos: Chacalluta e Colchane (no norte), que fazem fronteira com o Peru e a Bolívia, respectivamente, e Pino Hachado, na região da Araucanía (centro-sul), uma travessia tradicional com a Argentina.

Antes, já era possível entrar no país através dos aeroportos de Santiago, Iquique, Antofagasta e Punta Arenas. Todos os residentes chilenos e estrangeiros, viajantes não residentes com vacinas validadas pelo Ministério da Saúde e crianças com menos de seis anos de idade poderão entrar por qualquer um desses sete pontos.

"Aqueles que têm dose de reforço [de vacinas contra a Covid-19] registrada e validada não terão que passar por testes de isolamento ou diagnóstico na chegada", acrescentou o subsecretário, que esclareceu que o restante terá que passar por um teste diagnóstico e que quem não se vacinou precisará respeitar uma quarentena de cinco dias.

O Chile fechou suas fronteiras terrestres em abril, quando estava passando por uma segunda onda de contágio pelo novo coronavírus, uma alta que colocou o sistema de saúde nas cordas. A reabertura para todos os tipos de pessoas, residentes ou não, ocorreu em outubro passado, mas somente por via aérea.

Embora o país esteja passando por uma ligeira recuperação da pandemia há quase dois meses, a crise sanitária permanece sob controle. Atualmente, nenhum município está sob quarentena total, e a taxa de positividade do teste PCR foi de 3,2% nas últimas 24 horas.

O Chile reportou até agora 1,7 milhão de casos de Covid-19, 2.377 deles nas últimas 24 horas, além de 38.001 mortes causadas pela doença. O total de infecções ativas chegou a 14 mil, um dos números mais altos desde julho, mas as internações em unidades de terapia intensiva permanecem em menos de 600, número considerado baixo pelas autoridades sanitárias.

Últimas