Eleições EUA 2020

Internacional Após Trump, Biden confirma viagem para Kenosha na quinta-feira

Após Trump, Biden confirma viagem para Kenosha na quinta-feira

Candidatos à presidência dos EUA se revezam em visitas à cidade tomada por protestos depois que Jacob Blake foi baleado pelas costas por policial

  • Internacional | Da EFE

Biden irá à cidade atingida por conflitos nos últimos dias

Biden irá à cidade atingida por conflitos nos últimos dias

Etienne Laurent / EFE - Arquivo

O candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, e sua esposa, Jill, viajarão na quinta-feira (3) para a cidade de Kenosha, no estado de Wisconsin, após os protestos e motins dos últimos dias depois que um homem negro ficou gravemente ferido após ser baleado nas costas durante abordagem policial feita por um agente branco.

Leia também: Trump vai a Wisconsin em meio a violência e tumultos raciais

A campanha do candidato informou que Biden fará uma "reunião comunitária" para "unir os americanos para curar" e enfrentar os desafios que o país enfrenta.

Após esse encontro, ambos farão "uma parada local", disse a campanha, que não forneceu mais detalhes.

Visita pós-Trump

O democrata visitará Kenosha depois que o presidente Donald Trump viajou ontem para cidade, onde pôde conferir os danos causados pelos tumultos da semana passada.

Durante sua visita, Trump reafirmou seu apoio às forças de segurança e acusou os participantes dos protestos de envolvimento em "terrorismo doméstico": "Não estaríamos aqui sem nossas forças de ordem pública", disse o presidente, que visitou Kenosha, mesmo com as autoridades de Wisconsin pedindo para que o republicano não viajasse e acirrasse ainda mais os ânimos.

No último dia 23 de agosto, Jacob Blake, um homem negro, foi baleado sete vezes nas costas por um policial branco em Kenosha, causando uma onda de protestos raciais e motins naquela cidade.

Durante os distúrbios, duas pessoas morreram e uma terceira ficou ferida no ataque com fuzil semiautomático cometido um adolescente de 17 anos, que foi preso e acusado de homicídio em primeiro grau.

Esta será a primeira visita de Biden como candidato democrata a Wisconsin, um estado importante nas eleições do próximo dia 3 de novembro, já que Trump venceu com uma vantagem de menos de 1% sua rival no pleito de 2016, a ex-secretária de Estado Hillary Clinton.

Inicialmente, a convenção estava programada para ser realizada na cidade de Milwaukee, naquele estado, mas devido à pandemia da Covid-19 o evento foi realizado virtualmente, e Biden fez seu discurso de aceitação da indicação do partido à presidência diretamente de Wilmington (Delaware), onde reside.

Últimas