Arábia Saudita condena 5 pessoas à morte pelo assassinato de repórter

Outras três pessoas foram condenadas com penas de 24 anos de prisão. Corpo de Jamal Khashoggi teria sido esquartejado

Jornalista Jamal Kashoggi assassinado no ano passado

Jornalista Jamal Kashoggi assassinado no ano passado

EFE/Ali Haider/08.05.2012

A procuradoria-geral da Arábia Saudita informou nesta segunda-feira (23) que cinco pessoas foram sentenciadas à morte devido ao envolvimento na morte do jornalista Jamal Khashoggi. Outras três pessoas foram condenadas com penas de 24 anos de prisão.

Leia mais: Há um ano, fantasma de Khashoggi assombra príncipe herdeiro saudita

Jamal Khashoggi, jornalista saudita que residia nos Estados Unidos, era um forte crítico da família real do país de origem.

Leia mais: Jornal divulga áudio com detalhes do assassinato de Jamal Khashoggi

No dia 2 de outubro de 2018,  ele entrou no consulado saudita em Istambul para recolher documentos necessários ao seu futuro casamento e nunca mais foi visto.

Depois, a Arábia Saudita confessou que o jornalista morreu no edifício depois de as negociações para que regressasse ao país terem falhado.

A Turquia acredita que foi estrangulado e desmembrado, apesar de nunca terem sido encontrados vestígios do corpo.