Internacional Arábia Saudita: sumiço de jornalista na Turquia será investigado

Arábia Saudita: sumiço de jornalista na Turquia será investigado

Rei Salman anunciou investigação interna sobre destino de Jammal Kashoggi, que entrou em Consulado Saudita em Istambul e desapareceu

Arábia Saudita: sumiço de jornalista na Turquia será investigado

Saudita sumiu depois de entrar em consulado na Turquia

Saudita sumiu depois de entrar em consulado na Turquia

Reprodução / Reuters TV

O rei Salman, da Arábia Saudita, ordenou nesta segunda-feira (15) uma investigação interna sobre o desaparecimento inexplicável do jornalista Jamal Khashoggi, que foi visto pela última vez em 2 de outubro entrando no Consulado Saudita em Istambul, na Turquia.

Mais cedo, uma fonte diplomática turca disse à agência Reuters, que uma equipe conjunta de autoridades da Turquia e da Arábia Saudita vai fazer buscas no consulado na tarde desta segunda-feira.

Khashoggi, crítico das políticas de Riad e radicado nos Estados Unidos, desapareceu depois de entrar no consulado de seu país em Istambul para buscar documentos relacionados a uma licença para casar.

Ele chegou ao local acompanhado da noiva, que ficou esperando pelo jornalista do lado de fora, mas Kashoggi não voltou ao seu encontro.

A Turquia acredita que ele foi assassinado e teve o corpo removido, mas a Arábia Saudita nega as acusações.

Relatos publicados pelo jornal The New York Times dão conta de que Kashoggi foi morto e esquartejado nas dependências do consulado.

Trump envia Pompeo a Arábia Saudita

Pelo Twitter, o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou ter conversado com o rei Salman e que este negou ter qualquer conhecimento sobre "o que quer que tenha acontecido" com o jornalista.

Trump informou ainda que está enviando o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, para se encontrar com o rei imediatamente.

Ao longo da semana, aliados ocidentais da Arábia Saudita, incluindo os EUA, ameaçaram retaliar o país com sanções econômicas em função do desaparecimento de Kashoggi.

Investigação conjunta e retaliações

A investigação conjunta entre Turquia e Arábia Saudita parece ser uma resposta a estas ameaças.

O príncipe Khaled al-Faisal, membro da família governante da Arábia Saudita e conselheiro do rei Salman, se encontrou com o presidente turco, Tayyip Erdogan, para discutir o desaparecimento de Khashoggi, segundo duas fontes com conhecimento do assunto.

Erdogan e o rei Salman falaram por telefone na noite de domingo e enfatizaram a importância de os dois países criarem o grupo de trabalho como parte da investigação.