Argentina atinge piores marcas diárias de mortes e casos de covid

Ministério da Saúde do país confirmou 1.386 novas infecções e mais 30 mortes, elevando o número total de óbitos a 765 desde o início da pandemia

Das 30 mortes, oito ocorreram em Buenos Aires

Das 30 mortes, oito ocorreram em Buenos Aires

Juan Ignacio Roncoroni/EFE - 9.4.2020

A Argentina teve nesta quinta-feira (11) os seus piores números diários relacionados à pandemia do novo coronavírus, com 1.386 novos relatos de infecção e a confirmação de mais 30 mortes, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde.

Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

Dessa forma, de acordo com o relatório publicado pela pasta, o país vizinho teve 27.373 casos de contaminação pelo vírus Sars-Cov-2 e 765 óbitos desde que a crise sanitária global começou. Dentre esses contágios, 3,6% são importados, 40,5% são pessoas próximas a infectados anteriormente, 38,5 são de circulação comunitária e 17,4% estão sob investigação epidemiológica.

Com relação às mortes, oito aconteceram em Buenos Aires, 19 em outras cidades da província homônima à capital, uma em Chaco, uma em Río Negro e uma em Misiones. As vítimas são 19 homens e 11 mulheres entre 29 e 86 anos.

Até o momento, os serviços de saúde argentinos já concederam 8.332 altas. Portanto, 30,4% do total de pessoas que tiveram a doença já se curaram.