Novo Coronavírus

Internacional Argentina: aumenta o número de crianças internadas com covid-19

Argentina: aumenta o número de crianças internadas com covid-19

Só em um hospital pediátrico de Buenos Aires, há 39 pacientes hospitalizados pela doença, dos quais três estão na UTI

  • Internacional | Da EFE

Entrada do hospital pediátrico Garrahan, em Buenos Aires

Entrada do hospital pediátrico Garrahan, em Buenos Aires

Google Maps

As autoridades sanitárias do Hospital Garrahan, um dos centros pediátricos de referência na Argentina, demonstraram o aumento das internações de crianças com covid-19 devido ao aumento sustentado do número de casos entre menores na segunda onda de contágios no país vizinho.

"Até hoje, temos 39 pacientes hospitalizados, dos quais três estão na unidade de terapia intensiva", afirmou a chefe de epidemiologia do hospital, um centro de saúde em Buenos Aires, Rosa Bologna.

Segundo Rosa, as enfermarias do Hospital Garrahan dedicadas aos pacientes com a doença estão em 100% da capacidade, enquanto as unidades de terapia intensiva têm uma ocupação atual de 80%. Ela disse que a situação começou em meados de março, quando as infecções começaram a aumentar na região metropolitana de Buenos Aires.

"Nessa época, o número de casos confirmados dobrou aqui no hospital, e na primeira semana de abril eles tinham quadruplicado para um nível de casos que é maior, o dobro, do nível mais alto de 2020", disse.

A maioria dos pacientes pediátricos tem sintomas moderados, e 80% tinham outros problemas de saúde no momento da hospitalização. Porém, há também um grupo significativo que foi ao centro de saúde pela primeira vez, segundo Bologna.

Escolas são possíveis focos de transmissão

A chefe de epidemiologia do hospital afirmou que as escolas poderiam ser o principal local de transmissão do coronavírus entre crianças e jovens, mas deixou claro que se trata de um palpite. "Não está especificamente documentado."

"Temos o grupo dos 10 aos 19 (anos), que são pacientes que circulam em escola, encontros.... E depois há o outro grupo, de seis a nove, que de repente a escola poderia ser um local de transmissão", completou.

As declarações surgem no meio da segunda onda de infecções no país vizinho, que nos últimos 14 dias registrou mais de 300 mil novos casos de coronavírus.

Nesse cenário, do último dia 9 até o próximo dia 30 há restrições ao tráfego noturno, que o governo de Alberto Fernández decidiu estender em Buenos Aires e sua periferia desde a sexta-feira passada (16).

O governo nacional também ordenou que na região metropolitana de Buenos Aires as aulas presenciais nas escolas fossem suspensas por duas semanas, uma restrição que é estabelecida na Justiça.

Também estão proibidos as atividades recreativas, sociais, culturais, culturais, esportivas e religiosas e os serviços gastronômicos em locais fechados, enquanto o comércio vem operando em horários mais limitados.

Últimas