Coronavírus

Internacional Argentina flexibiliza restrições e aposta na recuperação econômica

Argentina flexibiliza restrições e aposta na recuperação econômica

Avanço da vacinação e quedas nos casos e mortes por covid fazem o presidente Alberto Fernández anunciar plano de reabertura

AFP
Presidente da Argentina fez previsões otimistas para a economia em 2021 e 22

Presidente da Argentina fez previsões otimistas para a economia em 2021 e 22

Alberto Valdes / EFE - Arquivo

O presidente da Argentina, Alberto Fernandez, anunciou nesta sexta-feira (6) o início de um plano de "aberturas sustentáveis e progressivas" das restrições contra a covid-19, para a "recuperação de atividades" e previu um crescimento da economia de 7% ainda este ano e de 4,5% em 2022.

Leia também: Argentina tem seca e falta de neve na Patagônia e na região de Cuyo

O "plano de abertura responsável" será colocado em prática neste sábado, por meio de um decreto presidencial.

"Hoje podemos ver um novo horizonte", disse ele em um discurso transmitido desde a Casa Rosada, em Buenos Aires, algo que ele atribuiu à aceleração da vacinação contra o coronavírus nas últimas semanas.

Avanço da imunização

Fernandez disse que em agosto a "prioridade é aumentar o percentual de segundas doses" em adultos, enquanto adolescentes entre 12 e 18 anos com comorbidades rseguem recebendo a primeira.

Até o momento, 25,8 milhões de pessoas (80% dos maiores de 18 anos e 57% da população total do país) já receberam ao menos a primeira dose, e quase 8 milhões (17,7% de todos os argentinos) já estão completamente imunizados.

A flexibilização se tornou uma opção após dez semanas com quedas nos casos e 8 semanas com redução nas mortes, afirmou Fernández. A Argentina, que tem 45 milhões de habitantes, registrou cerca de 5 milhões de infecções e 107 mil óbitos desde o início da pandemia.

"Quanto mais nos vacinarmos, quanto mais nos cuidarmos, mais poderemos desfrutas de nossas vitórias e mais poderemos avançar em aberturas sustentáveis e progressivas", comemorou o presidente.

A ideia é ampliar "pouco a pouco" a quantidade de pessoas que poderão se reunir e também avançar o ensino presencial.

O passo seguinte, segundo ele, "quando a situaçao permitir, será o retorno do público, em números progressivos, a grandes eventos, como os esportivos, e shows ao ar livre". O presidente também vislumbra a possibilidade de abrir as fronteiras para turistas estrangeiros com vacinação completa, "começando com os países da região".

"A vacinação é a melhor política econômica", ressaltou Fernández.

Nesse sentido, ele afirmou que a Argentina está "em pleno caminho de recuperação econômica" e previu queo país crescerá "por volta de 7%" em 2021 e 4,5% em 2022.

Em 2020, em meio à pandemia que agravou a recessão que já assolava o país há dois anos, o PIB despencou 9,9%.

Segundo Fernández, "há setores da economia que estão em um nível similar ou até melhor do que estavam em 2019".

O presidente afirmou que espera que a recuperação que já é registrada na indústria e na construção civil (crescimento de 22,4% e 61,6%, respectivamente, na comparação do primeiro semestre de 2021 com 2020), possa ser vista também em setores como turismo e lazer.

Últimas