Coronavírus

Internacional Argentina investiga visitas ao presidente na quarentena em 2020

Argentina investiga visitas ao presidente na quarentena em 2020

Alberto Fernández teria recebido pessoas na residência oficial no período mais rígido de isolamento social para conter pandemia

Agência EFE
Presidente da Argentina ,  Alberto Fernández

Presidente da Argentina , Alberto Fernández

Alberto Valdes / EFE - Arquivo

O procurador federal Ramiro González aceitou, nesta quinta-feira (5), um pedido de abertura de investigação sobre as visitas à residência presidencial da Argentina durante a rigorosa quarentena que estava em vigor em 2020, atendendo a uma queixa apresentada por dois opositores na qual apontam para uma possível violação das medidas em meio à pandemia.

O registro de visitas à residência presidencial, localizada na cidade de Olivos, em Buenos Aires, enquanto o isolamento social preventivo e obrigatório (Aspo) estava em vigor devido à pandemia da covid-19 foi revelado pela imprensa local com um pedido de acesso à informação pública.

A revelação causou um tumulto político e midiático quando essas visitas ocorreram, várias delas feitas à noite, enquanto a sociedade permaneceu confinada e muitos argentinos ficaram impossibilitados de trabalhar devido às restrições.

Dois militantes do partido de oposição Republicanos Unidos reagiram em 28 de julho apresentando uma queixa - que mais tarde foi estendida para acusar outras pessoas - contra o presidente Alberto Fernández e Sofía Pacchi, uma amiga e conselheira da primeira-dama, Fabiola Yañez.

A queixa por violação de medidas para evitar a propagação do coronavírus e abuso de autoridade e violação dos deveres de um funcionário público foi apresentada no Tribunal Federal Criminal e Correcional 7.

Nesta quinta-feira, González decidiu avançar com a investigação para estabelecer se houve violação das regras estabelecidas no âmbito da declaração de pandemia, de acordo com a carta oficial com a qual ele solicitou à Casa Militar da Presidência os registros de receitas e despesas dos investigados para 2020, com detalhes de data, posição, motivo da entrada e quem concedeu a autorização.

Várias visitas

Segundo o procurador federal, Fernández teria permitido uma série de visitas não autorizadas à residência de Olivos durante o período em que a fase mais estrita da Aspo esteve em vigor, o que reservava o movimento e o encontro de todas as pessoas estritamente para atividades essenciais.

González detalha que Pacchi teria comparecido à residência presidencial pelo menos 65 vezes e destaca como as mais relevantes as que ocorreram em 2 de abril de 2020 entre 22h e 00h11 do dia seguinte, quando o presidente fez aniversário, e em 14 de julho de 2020 entre 21h46 e 1h44 do dia seguinte, quando o aniversário foi da primeira-dama.

Essas visitas teriam ocorrido antes da nomeação de Pacchi como funcionária pública, em um cargo na Secretaria Geral da Presidência, em 31 de agosto de 2020.

O procurador informou também que os reclamantes ampliaram a queixa contra Yañez; contra o namorado de Pacchi, Chien Chia Hong, um empresário que durante 2020 ganhou três licitações com o Exército Argentino, de acordo com a imprensa local; contra o conselheiro de Yañez, Emmanuel López, e contra o sócio de López, Fernando Consagra, que também teria entrado na residência presidencial em 2 de abril de 2020.

Ele também destacou a entrada do treinador de cães Ariel Zapata e do veterinário Lautaro Romero em 14 de maio de 2020 e detalhou que os reclamantes solicitaram que a conduta da atriz Florencia Peña também fosse investigada, pois ela reconheceu publicamente ter visitado a residência Olivos durante a Aspo para contar ao presidente sobre a delicada situação que os atores estavam passando devido ao cancelamento das atividades.

Últimas