Argentina prorroga quarentena, mas avalia flexibilizações

Presidente Alberto Fernández, no entanto, disse que governadores poderão relaxar medidas em áreas rurais e locais mais isolados do país

Argentina tem menos de 2.000 casos confirmados de coronavírus

Argentina tem menos de 2.000 casos confirmados de coronavírus

Agustin Marcarian/Reuters

Prevista para acabar amanhã, a quarentena na Argentina, como forma de evitar a disseminação do coronavírus, foi estendida em todo o país até o dia 26 de abril. O anúncio foi feito pelo presidente Alberto Fernández, na noite de sexta-feira (10).

No entanto, Fernández decidiu que governadores poderão deixar de aplicar as restrições em cidades rurais isoladas. 

O governo também estuda uma ampliação dos serviços que são permitidos durante o decreto. 

Nos próximos dias, os argentinos poderão sair "alternadamente" para se exercitar perto de suas casas, informa o jornal Clarín

Um dos primeiros países da América Latina a adotar medidas duras de restrição à mobilidade social, a Argentina registra 1.975 casos de covid-19 e 82 óbitos, segundo dados apresentados pelo governo ontem.

O presidente citou, inclusive, o aumento de casos no Brasil para justificar a importância da manutenção da quarentena. As fronteiras terrestres entre os dois países estão fechadas e voos também estão suspensos.