Morte de Marielle Franco

Internacional Assassinato de Marielle repercute no cenário político internacional

Assassinato de Marielle repercute no cenário político internacional

Grupo de 52 deputados da União Europeia pede suspensão das negociações do acordo comercial com o Mercosul; autoridades condenam o assassinato

  • Internacional | Fábio Fleury, do R7, com agências internacionais

Deputados do Parlamento Europeu defendem suspensão de negociações com o Mercosul

Deputados do Parlamento Europeu defendem suspensão de negociações com o Mercosul

Reprodução Twitter

O assassinato da vereadora carioca Marielle Franco, na noite de quarta-feira, repercutiu pelo mundo nesta quinta-feira (15). No Parlamento Europeu, um grupo de deputados pediu que a casa suspenda as negociações do acordo comercial com o Mercosul.

Nas redes sociais, políticos como a ex-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, e o presidente da Bolívia, Evo Morales pediram justiça.

Além deles, órgãos ligados à ONU publicaram mensagens condenando o crime e relembrando a luta de Marielle, quinta vereadora mais votada do Rio na eleição municipal de 2016, contra a violência e a favor das minorias.

Parlamento Europeu

Um grupo de 52 deputados solicitou à presidência do Parlamento Europeu a suspensão imediata das negociações do acordo comercial com o Mercosul até que a violência no Rio diminua.

Em um discurso nesta quinta durante audiência do parlamento, o eurodeputado espanhol Miguel Urbán repudiou o assassinato da vereadora.

"Esta noite, assassinaram a vereadora do PSOL Marielle Franco no Rio de Janeiro. Assassinaram uma ativista feminista, defensora dos direitos humanos, anticapitalista. Uma ativista assassinada em um clima de violência política pré-eleitoral no Brasil. Deixo aqui toda a solidariedade para seus companheiros e suas companheiras e acima de tudo, nossa condenação firme do Parlamento Europeu ao clima de violência no Brasil", disse o deputado, na tribuna

ONU Mulheres

A entidade da Organização das Nações Unidas para defesa dos direitos das mulheres publicou uma foto de Marielle Franco com a nota: "Marielle Franco foi uma das principais vozes em defesa dos direitos humanos no Rio. Desenvolvia plataforma política relacionada ao enfrentamento do racismo e das desigualdades de gênero e pela eliminação da violência, sobretudo nas periferias e favelas do Rio"

Solidariedade na América do Sul

Ex-presidente da Argentina, Cristina Kirchner publicou duas mensagens em solidariedade a Marielle Franco em seu perfil no Twitter:

"Marielle Franco. Militante. Mulher. Feminista e negra da favela. Denunciava a violência policial e la militarização do Estado de Rio de Janeiro", dizia a nota de Kirchner, junto da foto da vereadora brasileira

Quem também se manifestou no Twitter, condenando o assassinato, foi o presidente da Bolívia, Evo Morales.

"Expressamos nosso forte repúdio ao brutal assassinato da vereadora Marielle Franco, do PSOL, Rio de Janeiro, Brasil. Nossa solidariedade à família da companheira de luta e uma mulher valente que sacrificou sua vida em defesa dos direitos humanos", escreveu Morales.

Veja abaixo a repercussão do crime na imprensa internacional

Últimas