Internacional Assassinato de Shinzo Abe no Japão: o que se sabe até o momento

Assassinato de Shinzo Abe no Japão: o que se sabe até o momento

Ex-primeiro-ministro japonês foi baleado durante um comício eleitoral; suspeito confessou o crime e diz ter usado arma caseira

AFP

Resumindo a Notícia

  • Ex-primeiro-ministro do Japão foi assassinado durante um comício em Nara
  • Suspeito preso é o japonês Tetsuya Yamagami, de 41 anos
  • Yamagami atirou em Abe com uma arma de fabricação caseira
  • Motivação de atirador seria uma suposta participação de Abe em uma organização não divulgada
Pessoas rezam no local onde o ex-primeiro-ministro japonês Shinzo Abe foi baleado

Pessoas rezam no local onde o ex-primeiro-ministro japonês Shinzo Abe foi baleado

Issei Kato/Reuters - 08.07.2022

O ex-primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, que marcou a vida política de seu país na última década e que continuava muito influente, morreu nesta sexta-feira (8), após ser baleado durante um comício eleitoral.

O que aconteceu?


Abe, de 67 anos, fazia um discurso nesta manhã em um comício eleitoral organizado perto de uma estação de trem em Nara, cidade no oeste do Japão, antes das eleições para o Senado, que vão ocorrer no próximo domingo (10).

Ele compareceu ao local para apoiar Kei Sato, um candidato de sua agremiação política, o Partido Liberal Democrata (PLD, direita nacionalista), que governa o Japão.

Por volta das 11h30 (23h30 de quinta-feira, no horário de Brasília), um homem se aproximou de Abe por trás, de acordo com imagens de emissoras japonesas.

O homem aparentemente disparou duas vezes, aterrorizando os espectadores, que se abaixaram em busca de proteção.

Abe caiu no chão, e muito sangue começou a escorrer por sua camisa branca. O atirador foi rapidamente derrubado e preso pela polícia.

Como Abe morreu?


Ele foi levado às pressas para um hospital na província de Nara, em Kashihara, onde chegou às 12h20 (0h20 de Brasília), em estado de "parada cardiorrespiratória", informou em coletiva de imprensa Hidetada Fukushima, professor de medicina de emergência do estabelecimento.

Ele foi atingido por duas balas no pescoço, e, apesar dos esforços para reanimá-lo, sua morte foi confirmada às 17h03 (5h03 de Brasília), segundo o médico.

De acordo com a emissora estatal japonesa NHK, Abe conseguiu dizer brevemente algumas palavras às pessoas que o cercavam após o ataque, antes de perder a consciência.

Quem é o atirador?


De acordo com fontes policiais citadas pela imprensa japonesa, o suspeito preso é um japonês de 41 anos chamado Tetsuya Yamagami.

A polícia revelou que ele confessou ter cometido o crime. "O suspeito declarou ter rancor contra uma determinada organização, e confessou ter cometido o crime porque acreditava que [...] Abe estivesse ligado a ela", disse um policial sênior da região de Nara. 

Yamagami ainda afirmou ter usado uma arma de fabricação caseira. A polícia informou que o armamento é "claramente feito à mão, embora uma análise esteja em andamento".

O morador de Nara serviu por três anos na Força de Autodefesa Marítima Japonesa, a Marinha do país, até 2005, de acordo com a imprensa, que citou como fonte o Ministério da Defesa.

A polícia revistou sua casa, onde foram encontrados produtos potencialmente explosivos, segundo a emissora pública de televisão.

Quais foram as reações?


O ataque contra Abe chocou todo o Japão e provocou uma onda de comoção também no exterior.

Visivelmente afetado, o primeiro-ministro Fumio Kishida, de quem Abe foi mentor político, denunciou um "ato bárbaro" e "absolutamente imperdoável".

A classe política japonesa condenou unanimemente o ataque, e os partidos suspenderam a campanha eleitoral para as eleições de domingo.

Kishida declarou que os preparativos eleitorais continuariam porque "é absolutamente necessário defender eleições livres e justas, que são a base da democracia".

Políticos de todo o mundo, dos Estados Unidos à União Europeia e à China, expressaram seu choque e sua tristeza.

Como Shinzo Abe era conhecido?


Tanto nacionalista quanto pragmático, Shinzo Abe bateu o recorde de longevidade como primeiro-ministro japonês.

Ele chegou ao poder pela primeira vez em 2006, tornando-se, aos 52 anos, o mais jovem chefe de Governo em seu país desde o pós-guerra, mas esse primeiro mandato durou apenas um ano.

Seu segundo mandato (2012-2020) foi marcante, com sua ousada política econômica, apelidada de "Abenomics", que combinava grandes estímulos fiscais com uma política monetária ultra-acomodante, uma estratégia que continua em vigor no Japão, apesar dos resultados desiguais, devido à falta de reformas estruturais suficientes.

Abe também se destacou por sua intensa atividade diplomática, fortalecendo em particular a aliança nipo-americana – ele era próximo do presidente americano Donald Trump (2017-2021), com quem compartilhava a paixão pelo golfe.

Abe era casado desde 1987 com Akie, de 60 anos, de uma grande família de industriais. O casal não teve filhos.

Últimas