Ataque terrorista contra um mercado deixa 36 mortos em Burkina Faso

Terroristas também colocaram fogo em 30 motos, veículo bastante popular na região. Ataque fez com que moradores fugissem para cidades vizinhas

Um ataque terrorista de um grupo armado contra um mercado na cidade de Nagraogo, no centro-norte de Burkina Faso, matou 36 pessoas e feriu outras três, de acordo com o governo local, que decretou dois dias de luto nacional.

Os terroristas incendiaram o mercado localizado na província de Sanmatenga na segunda-feira (20), em um incêndio em que 32 pessoas morreram, informou o Ministério de Comunicação, em nota divulgada nesta terça.

"Era dia de feira, então havia muita gente", explica uma autoridade local à Agência Efe, afirmando que os criminosos começaram a "disparar em tudo que se movia e depois atearam fogo nas barracas".

Quando deixavam o local, os homens armados vestidos com uniformes militares assassinaram outras quatro pessoas na vila de Alamou.

Eles também incendiaram 30 motocicletas, um meio de transporte popular em Burkina Faso e que também serve como táxi.

Esse ataque causou a fuga em massa da população que seguiu para a cidade de Kaya, localizada a cerca de 100 quilômetros da capital, Uagadugu.

"Esses ataques repetidos contra populações exigem uma colaboração franca entre as forças de defesa e segurança e o reforço da solidariedade entre a população", disse o ministro da Comunicação, Remis Fulgance Dandjinou.

Os casos de terrorismo tiveram início no país em abril de 2015, quando membros de um grupo vinculado à rede da Al Qaeda sequestraram um segurança romeno em uma mina de manganês de Tambao, no norte do país, que ainda está desaparecido.

Desde então, o número de ataques atribuídos a grupos afiliados à Al Qaeda e ao Estado Islâmico (EI) tem aumentado.